Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 02/04/2014
  • 23:48
  • Atualização: 08:31

Atuação da BM em protesto na Capital divide opiniões

Enquanto manifestantes viram exagero, coronel considerou exemplar

Atuação da Brigada Militar no protesto divide opiniões | Foto: Mauro Schaefer

Atuação da Brigada Militar no protesto divide opiniões | Foto: Mauro Schaefer

  • Comentários
  • Luís Dibe / Correio do Povo

O protesto do Bloco de Luta pelo Transporte Público desta quarta-feira gerou controvérsias. Para manifestantes, houve exagero da Brigada Militar. Já a BM considerou a ação exemplar para a prática de controle de multidões.

De fato, quem estava próximo dos ambientes de confronto assistiu a uma atuação da Polícia Militar gaúcha jamais vista desde o início das manifestações, no ano passado. Diferente de outras ocasiões, nas quais a BM empreendeu métodos de inteligência e espionagem, desta vez aplicou práticas comuns de polícia ostensiva.

Quando ocorreu ameaça ao Paço Municipal, o Choque marchou contra a turba. Nos atos de depredação às fachadas e bancos, bombas foram lançadas. A empreendida foi condizente com a expectativa de setores da sociedade. Só que algumas das bombas foram lançadas no meio da aglomeração, atingindo também a quem não estava comprometido com atos ilícitos.

Manifestantes pacíficos ficaram inconformados. O comandante do 9º BPM, tenente-coronel Córdova, disse que a reação desta noite é modelo de atividade policial em controla a distúrbios públicos. Ele não revelou qual a estratégia para as próximas manifestações, mas garantiu que a Brigada está preparada para atuar de acordo com as leis.

O ação foi toda coordenada do ar, por helicóptero, e acompanhada por terra pelo comandante do Policiamento da Capital, coronel João Godói.






Bookmark and Share