Correio do Povo

Porto Alegre, 28 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
11ºC
Amanhã
13º 25º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

03/04/2014 07:46 - Atualizado em 03/04/2014 07:55

Malásia não descansará até esclarecer mistério de avião desaparecido

Primeiro ministro afirmou que continuará em busca de respostas para o caso

Najib Razak afirmou que continuará em busca de respostas para o caso<br /><b>Crédito: </b> Richard Wainwright / Pool / AFP / CP
Najib Razak afirmou que continuará em busca de respostas para o caso
Crédito: Richard Wainwright / Pool / AFP / CP
Najib Razak afirmou que continuará em busca de respostas para o caso
Crédito: Richard Wainwright / Pool / AFP / CP

O primeiro-ministro da Malásia afirmou que o país não terá descanso até esclarecer o mistério do voo MH370, desaparecido há um mês e objeto da busca internacional "mais difícil da história", segundo o governo da Austrália.
"Queremos encontrar respostas. Queremos reconfortar as famílias e não teremos descanso até que as respostas sejam encontradas", disse Najib Razak em uma visita ao centro de operações de buscas, em Perth, na costa oeste australiana.

Até o momento, apesar das centenas de objetos flutuantes detectados por imagens de satélite no sul do Oceano Índico, os navios dos oito países que participam nas operações não encontraram nenhum destroço do Boeing 777 da Malaysia Airlines.

O avião desapareceu em 8 de março com 239 pessoas a bordo. No dia 25 de março, o governo da Malásia anunciou oficialmente que o Boeing caiu no sul do Oceano Índico. A busca, 1.850 km ao oeste de Perth, é coordenada pela Austrália.  "Mas esta é uma operação muito difícil, a mais difícil da história", declarou o primeiro-ministro australiano, Tony Abbott. "A cada dia fazemos o quebra-cabeça com pequenos elementos de informação. E a cada dia sabemos algo mais sobre o que pode ter acontecido no voo fatal", acrescentou.

O MH370, que decolou de Kuala Lumpur com destino a Pequim, desviou do plano de voo inicial e seguiu rumo ao oeste, sobrevoando a Malásia, para o estreito de Malaca. Os radares o perderam de vista no momento. Nesta quinta-feira chegará à região de busca um navio da Marinha australiana, o "Ocean Shield", equipado com uma sonda de 35 quilos conectada a um cabo para captar as emissões acústicas das caixas pretas, que devem deixar de emitir o sinal dentro de poucos dias.

Bookmark and Share


Fonte: AFP






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.