Correio do Povo

Porto Alegre, 30 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
20ºC
Amanhã
14º 21º


Faça sua Busca


Notícias > Política

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

04/04/2014 17:11

Michel Temer afirma que vai defender aliança com Dilma

Temer ressaltou que se a convenção decidir pelo rompimento com o governo, ele deixa de ser vice-presidente

Michel Temer afirma que vai defender aliança com Dilma<br /><b>Crédito: </b> Antônio Cruz / Agência Brasil / CP
Michel Temer afirma que vai defender aliança com Dilma
Crédito: Antônio Cruz / Agência Brasil / CP
Michel Temer afirma que vai defender aliança com Dilma
Crédito: Antônio Cruz / Agência Brasil / CP

Michel Temer, vice-presidente da República e presidente de honra do PMDB, afirmou nesta sexta-feira que na convenção nacional do partido, marcada para 10 de junho, ele afirmou que vai trabalhar para a manutenção da aliança com o governo de Dilma Rousseff.

"Não vejo o PMDB agindo contra o governo. Uma coisa é a relação do PMDB com o PT, a outra coisa é com o governo", disse Temer em Nova York, onde foi fazer duas palestras a investidores. "Eu vou trabalhar na convenção nacional pela aliança, porque acho que é o melhor caminho que temos agora." A aliança do PMDB foi fechada ainda no primeiro governo de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003.

Temer ressaltou que se a convenção eventualmente decidir pelo rompimento com o governo, ele deixa de ser vice-presidente. "Sempre fui obediente às diretrizes do PMDB. Não vou me insurgir contra o partido", afirmou. Temer frisou, porém, que vai trabalhar para o PMDB ter candidato próprio em 2018.

Segundo ele, a ideia é evitar a decepção que ocorreu em eleições passadas com candidatos do partido. O vice-presidente lembrou a candidatura de Ulysses Guimarães, que teve apenas 4% dos votos nacionais em 1989, e de Orestes Quércia, com 3,8% em 1994.

Questionado se já existem nomes no partido no páreo para 2018, Temer preferiu não falar em apostas. "Só o tempo vai dizer", disse ele.

Sobre uma reunião de Temer com a bancada do PMDB, marcada para a próxima quarta-feira, o vice-presidente disse que não haverá mais o encontro. O melhor, disse ele, é fazer reuniões com grupos menores de deputados, entre 10 e 12, para ouvir as queixas e as posições de Estados.

Bookmark and Share


Fonte: AE






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.