Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 05/04/2014
  • 12:37
  • Atualização: 12:50

Polícia prende líder de quadrilha especializada em roubos a banco

Homem estava em liberdade condicional e foi encontrado em Gravataí

Máscara, armas e celulares foram encontrados com líder da quadrilha | Foto: Álvaro Grohmann / Especial CP

Máscara, armas e celulares foram encontrados com líder da quadrilha | Foto: Álvaro Grohmann / Especial CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), da Polícia Civil, prendeu, na madrugada deste sábado um homem, conhecido como Maninho, que é considerado o líder de uma quadrilha especializada em roubos a banco e carro forte. A prisão ocorreu em Gravataí, após a libertação da esposa de um gerente de banco de Pinhal, que tinha sido sequestrada.

De acordo com o delegado Joel Wagner, o gerente, junto com a esposa, grávida de oito meses, foram rendidos em casa em Tramandaí no final da noite de quinta-feira. Durante a madrugada de sexta-feira, a mulher dele foi levada para um cativeiro. Pela manhã, o gerente teve de se deslocar até a agência bancária, em Balneário Pinhal, mas não houve êxito em recolher o dinheiro do cofre.

Wagner explicou que os assaltantes exigiram, então, um resgate para soltar sua esposa do gerente. “Uma quantia irrisória foi paga”, disse, acrescentando que a decisão foi tomada devido ao fato dela estar grávida. A mulher foi libertada na ERS 118, em Alvorada, ainda na sexta-feira.

Em liberdade condicional desde janeiro deste ano, Maninho foi localizado e preso na vila Paraíso. No local, foram apreendidos um revólver calibre 38 com cinco munições, uma réplica plástica perfeita de pistola calibre 9 milímetros, quatro celulares e uma máscara do personagem Jason, dos filmes da franquia Sexta-Feira 13, além de um Peugeot 206.

Vida criminosa desde os anos 90


Para surpresa dos agentes, a casa onde estava Maninho é a que serviu de cativeiro para a esposa do gerente. O criminoso tem antecedentes criminais desde 1994 por roubos a bancos e carros-fortes, além de caminhões de cargas. Ele foi apontado ainda como envolvido no ataque da Prosegur, em maio de 2011, na Capital.

O chefe de equipe da empresa de transporte de valores, com a esposa e filho pequeno, foram mantidos reféns em Esteio. Todos foram trazidos depois para Porto Alegre, onde a vítima foi obrigada a driblar os procedimentos internos de segurança e saiu sozinho com um carro-forte carregado de uma quantia milionária em dinheiro. O blindado foi abandonado em seguida perto de um macroatacado. As vítimas foram depois soltas. Em junho daquele mesmo ano, o assaltante seria preso pelo Deic em Gravataí.

Caçada continua

Uma caçada aos demais integrantes da quadrilha que sequestro o gerente do Banrisul de Balneário Pinhal, no Litoral Norte, será realizada pela Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos da Polícia Civil. Além de Maninho, de 48 anos, Wagner não descarta que mais cinco criminosos façam parte do grupo. “Já temos alguns nomes de suspeitos”, revelou.

Bookmark and Share