Porto Alegre, quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

  • 07/04/2014
  • 12:45
  • Atualização: 13:13

Aumento da tarifa desencadeia reclamações sobre qualidade do transporte

Passagem de ônibus passou de R$ 2,80 para R$ 2,95 em Porto Alegre

  • Comentários
  • Mauren Xavier / Correio do Povo

Os usuários do transporte público de Porto Alegre tiveram um início de semana mais caro, com o aumento da tarifa dos ônibus e dos lotações. Só que a indignação maior por parte dos passageiros não é com os R$ 0,15 a mais na passagem dos coletivos, que passou de R$ 2,80 para R$ 2,95, mas com a qualidade do serviço. “É um absurdo esse valor. A gente quase morre esperando ônibus na parada e quando chega, vem lotado. Cobram mais, então deveriam oferecer melhores serviços”, questionou a diarista Patrícia Bravo, que reside em Gravataí e trabalha no bairro Partenon.

Diariamente, ela pega um ônibus no Centro até a empresa. Na parada do ônibus, Patrícia disse esperar às vezes 30 minutos. “Além de esperar, no verão o serviço piora porque nem todos os ônibus têm ar-condicionado”, resumiu. Ao lado dela, no terminal da rua Uruguai, no Centro, outra usuária também reclamava da qualidade do transporte público. “O serviço poderia melhorar e muito”, comentou Elza Boff Fernandes, que pega quatro ônibus diariamente para ir e voltar de casa ao trabalho.

“Claro que no final do mês vai fazer diferença esse aumento. Mas ainda vale a pena pagar mais do que ficar sem transporte, como ocorreu na greve dos rodoviários”, recordou ela, fazendo referência à paralisação de 15 dias dos rodoviários, entre o final de janeiro e início de fevereiro. Para a recepcionista Nádia Oliveira, o aumento da passagem pesará no bolso e, infelizmente, a qualidade do transporte não vai melhorar tão cedo. “Existem muitos problemas. Os ônibus demoram e muitas vezes nem param nas estações, como deveriam. Fazem de conta que você não está esperando”, lamentou.

A manhã desta segunda-feira foi de movimentação grande em frente ao Centro Integrado de Passagem Escolar e Isenções, na rua Uruguai. Antes da abertura dos serviços, às 8h30min, mais de 50 pessoas esperavam por atendimento. A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) esclarece que os saldos nos cartões TRI anteriores ao aumento terão validade ainda por 60 dias. Quem inserir créditos a partir de hoje, já pagará mais caro.

O reajuste da tarifa impactou no valor da integração (cartões SIM e TRI) entre os coletivos da Capital e o metrô que passou de R$ 4,05 para R$ 4,19. O desconto tarifário continua sendo de aproximadamente 10% com o uso dos cartões de bilhetagem eletrônica. A tarifa sem o benefício fica em R$ 4,65. Já a integração ônibus-metrô-ônibus entre Porto Alegre e Canoas aumentou de R$ 6,02 para R$ 6,16. O desconto é de 15%. A integração tripla se dá pelos cartões SIM ou TRI.

Preço da passagem nas lotações

O reajuste na tarifa do ônibus impactou também nas passagens de lotações de Porto Alegre. A tarifa saltou de R$ 4,20 para R$ 4,40. Entre os motoristas, o reajuste trouxe um problema em particular: o troco. Se antes a busca era pelas moedas de R$ 0,25 e R$ 0,05, agora se tornaram prioridade as de R$ 0,10 e R$ 0,50. “Infelizmente a maioria dos passageiros não se preocupa com o troco e acaba trazendo valores grandes e ter moedas se torna um desafio”, comentou o motorista Valdir Lummertz, que trabalha há 25 anos em lotações da Capital.

A utilização do cartão do TRI ajudou a amenizar esses transtornos. Segundo o gerente-executivo da Associação dos Transportadores de Passageiros por Lotação de Porto Alegre (ATL), Rogério Lago, a utilização do cartão é uma ação válida em especial ao passageiro cativo, que utiliza com frequência as lotações. “Há uma carência de moedas e buscamos estimular o nosso usuário a tê-las. Ao mesmo tempo, o cartão auxiliou muito”, enfatizou ele.

Para utilizá-lo, é preciso ter o cartão e recarregá-lo nos postos de atendimento na categoria “passagem antecipada”. Ao entrar no lotação, basta aproximar o cartão do equipamento de leitura que a passagem é consolidada, trazendo facilidades aos usuários. Diferente da reação dos passageiros de ônibus, o aumento não trouxe grandes insatisfações aos usuários. Muitos acreditam que o reajuste de R$ 0,20 compensa o serviço prestado.

“O preço do lotação está dentro do aceitável porque o usuário tem mais conforto nas viagens, como ir sentado e ter ar-condicionado. É bem diferente da realidade dos ônibus”, comentou o passageiro Claudio Petersen, enquanto esperava na manhã de ontem o lotação Hospital Conceição, na rua Sete de Setembro. Ele ressaltou ainda que vale mais a pena pagar o valor da tarifa do que os prejuízos provocados pelos protestos. “É melhor pagar R$ 0,20 a mais de passagem do que ter que pagar a destruição provocada por outras pessoas, como os danos aos ônibus, bancos e à Prefeitura”, resumiu.

Bookmark and Share