Correio do Povo

Porto Alegre, 27 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
14ºC
Amanhã
18º


Faça sua Busca


Notícias > Política

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

14/04/2014 23:13 - Atualizado em 15/04/2014 08:44

Prefeito de Carlos Barbosa pede desculpas e se diz "muito abalado"

Fernando Xavier da Silva afirmou em coletiva que temia "infestação de goianos e baianos"

O prefeito de Carlos Barbosa, Fernando Xavier da Silva, divulgou nota pedindo desculpas, principalmente a baianos e goianos, por declarações potencialmente ofensivas em coletiva. O gestor municipal se disse "muito abalado" pela repercussão de algo que falou de maneira "espontânea, mas sem má fé".

O prefeito pediu cautela na divulgação da cidade durante a abertura da Festiqueijo, no dia 31 de março. Ele disse que a exposição exagerada do município gaúcho com o maior Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (Idese) do ano pode "atrair pobreza". Comentou que “se vier uma infestação de goianos e baianos, vai começar a ter fome".

"Peço desculpas pelo ocorrido. Nunca houve maldade em meu discurso e não foi intenção ofender qualquer cidadão, de qualquer lugar do país", frisou o prefeito. Ele salientou que é natural de Pelotas, sendo também um "imigrante" de Carlos Barbosa.

Confira a nota na íntegra:


Peço desculpas pelo ocorrido. Nunca houve maldade em meu discurso e não foi intenção ofender qualquer cidadão, de qualquer lugar do país. O que quis dizer é que se as pessoas quiserem vir pra cá, podem vir que serão bem recebidas. Minhas colocações foram na intenção de expor que as pessoas venham com condições de se manter, com qualificação, para facilitar a conquista de um emprego, para que vivam com dignidade, porque o custo de vida é muito alto aqui.

Não posso concordar em ver qualquer cidadão passando necessidades, me dói muito isso. Eu sei o que é passar por dificuldades. Paguei aluguel por 21 anos antes de conseguir financiar minha casa. Me entristece ver algumas famílias que vem pra cá em condições de vulnerabilidade social, passando enormes dificuldades. Isso que eu gostaria de evitar, o sofrimento destas pessoas.

O município tenta ajudar o máximo possível, mas temos nossas limitações, e nunca conseguimos auxiliar o suficiente. Como de costume, minhas falas são sempre espontâneas, nunca faço uso de discursos escritos. Estou muito balado pela proporção que teve uma fala "atrapalhada”, mas sem má fé.

Humildemente reafirmo em público minhas escusas pelo ocorrido e manifesto meu forte apreço pelo povo de qualquer lugar do Brasil, especialmente aos baianos e goianos, citados equivocadamente e de forma infeliz por mim.


Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.