Porto Alegre, terça-feira, 21 de Outubro de 2014

  • 16/04/2014
  • 11:21
  • Atualização: 11:38

Cerimônia da "Via Crúcis" vai falar de máfia, guerras e drogas

Papa Francisco vai comandar reprodução do calvário de Cristo

Papa Francisco vai presidir na noite desta quinta-feira, no Coliseu de Roma, Via Crúcis | Foto: Vincenzo Pinto / AFP / CP

Papa Francisco vai presidir na noite desta quinta-feira, no Coliseu de Roma, Via Crúcis | Foto: Vincenzo Pinto / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O Papa Francisco vai presidir na noite desta quinta-feira, no Coliseu de Roma, a tradicional Via Crúcis, que recorda o calvário de Cristo antes da crucificação.Este ano o ritual será dedicado aos sofrimentos que atingem o mundo moderno, como máfia, guerra e drogas.

O pontífice argentino pediu ao bispo da cidade italiana de Campobasso, Giancarlo Bregantini, conhecido por suas batalhas contra a máfia, para escrever as meditações que tradicionalmente são lidas em cada um das 14 estações enfrentadas por Jesus. O texto, divulgado pelo jornal "L'Osservatore Romano", trata de aspectos da realidade cruel do mundo moderno do ponto de vista de um religioso que vive no sul da Itália, região pobre e esquecida do país. Bregantini fala da crise econômica e de "suas graves consequências sociais", como o desemprego, a precariedade, o suicídio de empresários, a corrupção e a usura.

O bispo - que sofreu uma tentativa de assassinato da máfia da Calábria em 1994 - também aborda o drama dos refugiados, das drogas e do tráfico de pessoas. "Com a força interior que vem do Pai, Jesus nos ajuda a acolher a fragilidade dos outros, a não se irritar com os que estão em dificuldade, a não ser indiferente. Nos dá a força de abrir a porta a quem bate em nossas casas pedindo ajuda e dignidade", escreveu.

O texto também fala de doenças causadas pelo despejo de resíduos tóxicos na região de Nápoles. Conhecido como "Terra de fogos", o fenômeno é resultado de anos de descartes de materiais radioativos realizados pela máfia, em um zona onde centenas de camponeses cultivam verduras e legumes.

Em uma entrevista à Rádio Vaticano, o bispo explicou que as estações ainda vão tratar de doentes terminais e de mulheres vítimas de abusos. "Choremos por esses homens que descarregam nas mulheres as violência que conservam em seu interior", pediu. "Choremos pelas mulheres que são escravas do medo e da exploração".

Milhares de fiéis participam anualmente da Via Crúcis, que vai ser transmitida ao vivo pela televisão pública italiana.
No sábado,o Papa presidirá a vigília pascoal na Basílica de São Pedro, e no domingo será realizada a missa da Ressurreição.

Bookmark and Share