Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 16/04/2014
  • 17:44
  • Atualização: 17:47

Suspeito de matar filho garante para o primo que é inocente

Polícia investiga se Leandro Boldrini teria participado da morte de Bernardo

  • Comentários
  • Samuel Vettori / Rádio Guaíba

O médico suspeito da morte do filho Bernardo Uglione Boldrini, de 11 anos, Leandro Boldrini, conversou com seu primo e advogado Andrigo Rebelato e garantiu que é incocente. Além disso, Leandro fez um pedido ao primo: solicitou que a sua declaração de inocência seja transmitida à opinião pública. “Ele disse que (matar o filho) é um ato que jamais faria ou consentiria ou de qualquer forma participaria”, comentou Andrigo.

O encontro ocorreu no presídio para onde o suspeito foi levado. O local não foi revelado. Sobre a participação da companheira, Graciele Boldrini, no assassinato, Leandro comentou que, se ela cometeu crime, "vai pagar (pelo crime)”.

• Bernardo procurou outra família antes de dar chance a pai, relata promotora
• Emoção marca sepultamento de Bernardo em Santa Maria
Leia mais sobre o caso Bernardo

O advogado não deve conduzir a defesa do médico. Rebelato justificou estar envolvido emocionalmente com o caso por pertencer à família de Boldrini e, consequentemente, conhecer o garoto. Por ter relação de parentesco, ele foi procurado para fazer o primeiro contato com o preso.  À tarde, ele revelou ter ficado com o compromisso de contratar um advogado para o primo.

O corpo de Bernando foi encontrado em um matagal de Frederico Westphalen na segunda-feira, dez dias depois de ele desaparecer. A família vivia em Três Passos. A investigação suspeita que a causa da morte tenha sido uma injeção letal. O pai e a madrasta do menino além de uma amiga da mulher, a assistente social Edelvânia Wirganovicz, estão presos. Para a polícia, os três foram responsáveis pelo homicídio.

Bookmark and Share