Correio do Povo

Porto Alegre, 16 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
12ºC
Amanhã
14º 23º


Faça sua Busca


Notícias > Polícia

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

17/04/2014 00:24 - Atualizado em 17/04/2014 00:25

Pai de Bernardo presta depoimento em Três Passos

Madrasta só deve ser ouvida na próxima semana

Casa onde o garoto morava recebe homenagens de vizinhos e amigos da família<br /><b>Crédito: </b> André Piovesan / Especial / CP
Casa onde o garoto morava recebe homenagens de vizinhos e amigos da família
Crédito: André Piovesan / Especial / CP
Casa onde o garoto morava recebe homenagens de vizinhos e amigos da família
Crédito: André Piovesan / Especial / CP

A Polícia Civil de Três Passos, no Norte gaúcho, confirmou que o pai do menino Bernardo Uglione Boldrini, de 11 anos, prestou depoimento na noite desta quarta-feira. Segundo a delegada regional Cristiane de Moura, Leandro Boldrini falou sobre a morte do filho. Para evitar que moradores da cidade voltem a protestar, prejudicando o andamento das investigações, a policial não revelou o local do depoimento. O presídio em que Boldrini cumpre prisão temporária também não foi divulgado, assim como o teor do depoimento, em respeito ao segredo de Justiça do caso.

• Leia mais sobre o caso Bernardo

Conforme Cristiane, a madrasta da vítima, Graciele Uglini, também deve prestar depoimento, mas em razão dos feriados, isso só deve ocorrer na semana que vem. O pai do garoto, a madrasta e uma amiga do casal, Edelvânia Wirganovicz, de Frederico Westphalen, foram presos preventivamente, após uma medida cautelar, como suspeitos da morte do garoto.

Primo de Boldrini, o advogado Andrigo Rebelato conversou no presídio, nessa manhã, com o pai do garoto. O homem garantiu inocência e pediu que essa versão seja transmitida à opinião pública. Sobre a participação da companheira no assassinato, Leandro comentou que, se ela cometeu crime, "vai pagar”.

O advogado não deve conduzir a defesa do médico. Rebelado justificou estar envolvido emocionalmente com o caso por pertencer à família de Boldrini e, consequentemente, conhecer o garoto. Por ter relação de parentesco, ele foi procurado para fazer o primeiro contato com o preso. À tarde, ele revelou ter ficado com o compromisso de contratar um advogado para o primo.

Motivação do crime pode ter sido econômica

Uma das hipóteses para explicar o assassinato de Bernardo é a motivação econômica. Sem dar detalhes, a Polícia Civil revela que está investigando essa possibilidade. O menino é o herdeiro da parte do capital da família a ser destinada à mãe dele, morta em 2010.

Com informações do repórter Samuel Vettori

Bookmark and Share

Fonte: Wagner Machado / Rádio Guaíba






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.