Porto Alegre, terça-feira, 25 de Novembro de 2014

  • 17/04/2014
  • 10:59
  • Atualização: 11:00

China admite que uma parte de seu solo está poluído

Parte afetada é comparável ao territóro do Peru ou Colômbia

  • Comentários
  • AFP

A poluição do solo da China afeta uma superfície comparável com ao território do Peru ou Colômbia, anunciou nesta quinta-feira o governo, ao publicar os resultados de uma pesquisa até então mantida em segredo. Dos 6,3 milhões de quilômetros quadrados estudados - cerca de dois terços da superfície da China -, calcula-se que 16,1% estejam contaminados, o equivalente a uma superfície que ultrapassa um milhão de quilômetros, segundo o ministério da Proteção do Meio Ambiente. 

"A situação do solo no âmbito nacional não é positiva", admitiu o ministério em seu site, mencionando que as indústrias mineradoras e a agricultura são os principais responsáveis por este problema. Mais de 80% dos agentes contaminantes detectados no solo é de origem biológica, segundo esta pesquisa realizada durante oito anos, de 2005 a 2013. 

A deterioração da natureza é motivo de preocupação crescente da população chinesa, cada vez menos disposta a aceitar que o meio ambiente seja sacrificado em nome do crescimento. Grande parte das águas na China está média ou gravemente poluídas e os escândalos de contaminação das camadas freáticas são frequentes. Isso sem mencionar as controvérsias em torno da deterioração da qualidade do ar, que afeta regiões inteiras da segunda economia mundial.

A ONG Greenpeace alertou nos últimos anos, entre outras coisas, sobre os efeitos das cinzas de carvão no país.

Bookmark and Share