Porto Alegre, sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

  • 22/04/2014
  • 07:24
  • Atualização: 07:32

Reforma do Legislativo tem apoio da maioria da AL

Proposta para melhor estrutura da Casa será apresentada hoje

  • Comentários
  • Flávia Bemfica / Correio do Povo

A maioria da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa gaúcha é a favor do polêmico projeto de reforma do Palácio Farroupilha, a sede do Legislativo. A proposta para que a Casa encaminhe o projeto executivo da reforma e seus termos serão apresentados nesta terça-feira à Mesa pelo presidente da Assembleia, deputado Gilmar Sossella (PDT). O projeto executivo tem custo de R$ 3 milhões e será feito pelo escritório paulista Vigliecca e Associados, vencedor do concurso público nacional realizado em 2009 para definir o Plano de Ocupação e Requalificação Espacial da área do Legislativo.

Sossella pediu um desconto ao escritório e o custo pode fechar em R$ 2,7 milhões. Com o projeto concluído, é possível começar o processo licitatório para execução das obras, orçadas inicialmente em mais de R$ 60 milhões.

Além de Sossella, ontem quatro dos outros seis titulares da Mesa se disseram totalmente favoráveis à reforma, apesar dos altos custos. "Eu acho que é necessário fazer, mas a gente sabe que, como é ano eleitoral, as pessoas ficam receosas", avalia o 1 vice-presidente, deputado Catarina Paladini (PSB)."'Sou a favor, temos que fazer, mesmo que critiquem, porque as instalações são muito ruins", diz o 2 vice-presidente, deputado Álvaro Boessio (PMDB).

Entre todos os integrantes da Mesa, os mais cautelosos são a 1 secretária, deputada Marisa Formolo (PT), e o 2 secretário, deputado João Fischer (PP). Marisa considerou difícil o projeto ter seguimento sem um acordo político entre os partidos que possuem as quatro maiores bancadas (pela ordem: PT, PMDB, PP e PDT). "Neste ano o acordo é difícil porque nem sabemos quem será eleito para a próxima legislatura. E uma reforma deste porte precisa ter o comprometimento de uma legislatura inteira." Apesar de concordar com a necessidade de mudanças, Fischer informou que precisa analisar melhor o projeto.

O que pensam os líderes:

Catarina Paladini (PSB) - 1 vice-presidente. "Sou totalmente favorável. Veja os elevadores: estão sempre cheios, estragam, trancam, param. O problema vai ser conseguir a adesão das bancadas."

Álvaro Boessio (PMDB) - 2 vice-presidente. "Tem que fazer a reforma sim. Os elevadores, o estacionamento são ruins. E os gabinetes são tão pequenos que os deputados não conseguem colocar neles os nove assessores a que têm direito."

Marisa Formolo (PT) - 1 secretária. "Aprovar o plano em si não é problema. O problema é executar. O PT é favorável a algumas mudanças."

João Fischer (PP)
- 2 secretário. "Alguma coisa tem de ser feita, o prédio tem problemas."

José Sperotto (PTB) - 3 secretário. "A reforma é uma questão de bom senso. Nossos banheiros são públicos. Os deputados não têm um banheiro privativo. Com a reforma, vão ter. E o atual Anexo 1 é mais ou menos uma boate Kiss."

Elisabete Felice (PSDB)
- 4 secretária. "A reforma urge. As salas estão abarrotadas de pessoas, há cupins, problemas de luz e ventilação. Nem conseguimos receber uma autoridade com a elegância necessária. Precisamos dignificar a Assembleia."

Bookmark and Share