Porto Alegre, segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

  • 22/04/2014
  • 18:27
  • Atualização: 18:58

Prefeitura recebe quatro projetos para metrô em Porto Alegre

Propostas serão analisadas por técnicos e vão embasar o edital de licitação da obra

Prefeitura recebe quatro projetos para metrô em Porto Alegre | Foto: Luciano Lanes / Divulgação PMPA / CP

Prefeitura recebe quatro projetos para metrô em Porto Alegre | Foto: Luciano Lanes / Divulgação PMPA / CP

  • Comentários
  • Lucas Rivas / Rádio Guaíba

Quatro projetos para a construção do metrô de Porto Alegre foram entregues por cinco empresas na tarde desta terça-feira. As propostas das concessionárias interessadas pela obra vão ser analisadas agora por uma equipe técnica.

Os projetos para a obra vão subsidiar o edital de licitação e a minuta de contrato da parceria público-privada. Conforme o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, mais de uma proposta pode ser escolhida para a execução do metrô. A expectativa é de que o processo de licitação inicie ainda neste ano. 

"Se tudo correr bem, poderemos lançar a licitação no segundo semestre de 2014. Sem demandas judiciais, as obras podem começar em 2015 e serem concluídas até 2019", comentou Fortunati. "A equipe que analisará os projetos será formada por técnicos da Prefeitura, do governo do Estado e do BNDES. Também convidamos profissionais do metrô de Madri", acrescentou.

O projeto MetrôPoa é orçado em R$ 4,84 bilhões. Desse valor, o Governo Federal promete destinar R$ 1,77 bilhão, o governo estadual entra com R$ 1,08 bilhão, a Prefeitura Municipal com R$ 690 milhões e o parceiro privado com R$ 1,30 bilhão. A Prefeitura ainda deve arcar com R$ 195 milhões com desapropriações e R$ 500 milhões (25 parcelas de R$ 20 milhões anuais) como contraprestação do serviço durante a operação, totalizando R$ 1,385 bilhão.

A obra deve empregar a técnica conhecida como 'tatuzão', que escava sem a necessidade de abrir a superfície. A abertura do túnel ocorre a cerca de 20 metros de profundidade, sem impacto para o trânsito da cidade.

Critérios de seleção:
• Maior disponibilidade do serviço (horário de operação e frequência);
• Menor tempo de viagem e etapas do processo de deslocamento (informação, acesso, pagamento, espera, deslocamento, transbordo e desembarque);
• Deslocamento, acesso às estações e aos serviços internos, incluindo bilhetagem, embarque, desembarque e interligação com outros modais;
• Infraestrutura de atendimento, estrutura física e equipamentos para interface e informação ao usuário;
• Melhor infraestrutura de assentos, ruído, iluminação, climatização, vibração, facilidades ergonômicas, sanitários e oferta de comércio e serviços;
• Recursos de informação dinâmica e estática, visual e sonora, nos veículos, estações, acessos, no entorno e à distância.
• Planos de emergência, ações preventivas, dispositivos e equipamentos com o objetivo de minimizar os riscos de acidente.


Bookmark and Share