Porto Alegre, sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

  • 23/04/2014
  • 10:33
  • Atualização: 11:35

Advogado busca provas para reabrir caso da morte da mãe de Bernardo

Defensor da avó do menino afirmou que precisa de novos elementos

Defensor da avó do menino afirmou que precisa de novos elementos | Foto: João Vilnei / Especial / CP

Defensor da avó do menino afirmou que precisa de novos elementos | Foto: João Vilnei / Especial / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

A advogado da avó materna de Bernardo Boldrini, Marlon Adriano Taborda, procura novos elementos para poder reabrir o caso da morte da mãe do menino, Odilaine Uglione, que teria cometido suicídio. Em entrevista ao site do Correio do Povo nesta quarta-feira, o defensor afirmou que só poderá solicitar o desarquivamento do inquérito se encontrar provas que contestem a versão oficial.

• Leia mais sobre o caso Bernardo Boldrini

Embora o assassinato do menino Bernardo tenha levantado dúvidas sobre as circunstâncias da morte da mãe do garoto, o homicídio por si só não é suficiente para reabrir a investigação. A titular da Delegacia de Polícia de Três Passos, Caroline Machado, já havia relatado nessa terça, em coletiva, que depende de novos elementos. "A prudência recomenda que só se isso acontecer, poderei pedir para que o caso seja reaberto”, afirmou.

A mãe de Bernardo, Odilaine Uglione  – que era enfermeira – faleceu em 10 de fevereiro de 2010, em Três Passos. O inquérito policial apontou suicídio, mas a mãe da vítima, Jussara Uglione, sempre contestou essa versão. Na época, a investigação – que também estava a cargo da delegada Caroline Machado – apurou que Odilaine comprou um revólver calibre 38 pouco antes de ir à clinica do marido, Leandro Boldrini, onde disparou contra a própria cabeça.

Bookmark and Share