Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 24/04/2014
  • 16:24
  • Atualização: 17:37

Escola e postos de saúde voltam a fechar na Vila Cruzeiro

População e servidores têm receio de frequentar locais temendo novo tiroteio

  • Comentários
  • Correio do Povo e Rádio Guaíba

A Escola Estadual de Ensino Fundamental Almirante Álvaro Alberto da Motta e Silva na Vila Cruzeiro, na zona sul da Capital, voltou a fechar as portas na tarde desta quinta-feira em razão dos tiroteios ocorridos nos últimos dias na região. Além disso, os postos de saúde da região também fecharam em determinação da Secretaria Municipal de Saúde.

A diretora da escola, Beatriz Rocha Gonçalves, afirmou que novas trocas de tiros não foram ouvidas, mas que tanto funcionários quanto pais de alunos estão com medo, o que ocasionou a redução no período de aula. “A gente trabalhou normalmente nesta manhã. O que as funcionárias estão passando para a direção é que estão pensando em sair da escola, outras com receio de vir para a Vila Cruzeiro. Poucos pais mandaram os filhos para a aula. Em função disso, resolvemos reduzir o horário das aulas até às 15h30min”, disse à Rádio Guaíba.

• Escolas e postos de saúde reabrem na Vila Cruzeiro

• BM articula resposta a toque de recolher na Vila Cruzeiro

• STS mantém circulação de ônibus após ameaça de incêndio a coletivos na Vila Cruzeiro

A diretora confirmou que tiroteios ocorreram na terça-feira no bairro, o que gera a sensação de insegurança nos moradores próximos, pais e funcionários. A escola também encerrou as atividades mais cedo nessa quarta. Beatriz Rocha Gonçalves, no entanto, ressaltou que a orientação é para que os alunos sigam indo às aulas.

“Somente na terça-feira escutamos tiros, por volta da 1h30min. No final da tarde também aconteceu. As funcionárias ficaram na escola e só saíram quando se sentiram mais seguras. Como isso gerou um pânico na comunidade, os pais estão inseguros em mandar os filhos para a aula, mas a escola está trabalhando normalmente. A orientação é para que os alunos venham amanhã”, seguiu a diretora.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) determinou também nesta tarde o fechamento temporário das Unidades Básicas de Saúde Cristal, Tronco e Vila Cruzeiro, e das Unidade de Saúde da Família (USF) Cruzeiro do Sul e Mato Grosso, em razão da situação na região. Segundo nota da assessoria da SMS, “o ambiente tenso e ameaçador está assustando servidores dos postos e os moradores da região que utilizam estes serviços”. O fechamento, por medida de segurança, será reavaliado nesta sexta.

A comandante do 1º Batalhão de Polícia Militar (1º BPM), tenente-coronel Cristine Rasbold, ressaltou que o efetivo de policiais foi reforçado na região e de que a orientação é para que escolas e comerciantes mantenham a rotina. “A situação é de reforço policial no local para garantir a tranquilidade na comunidade, em função da informação que vazou de que haveria uma disputa entre grupos rivais pelo controle do tráfico de drogas”, disse a tenente Cristine.

“Temos grupamentos nas imediações da praça moderna, ontem tivemos policiais militares a pé na região. Nessa noite foi normal a situação na região. Mantivemos o pessoal até a meia-noite com o efetivo do dia, depois diminuímos, mas sempre com reforço no policiamento. Estou com a impressão da normalidade. As pessoas estão assustadas pelo que ocorreu do tiroteio. Estamos sensíveis a esse sentimento da comunidade, entendemos isso, mas estamos aqui para garantir a normalidade da situação”, completou.

*Com informações do repórter Cristiano Soares

Bookmark and Share