Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 29/04/2014
  • 07:40
  • Atualização: 08:26

Presidente da Coreia do Sul pede perdão por naufrágio

Balsa com mais de 300 pessoas afundou em 16 de abril

Presidente Park Geun-hye pediu perdão por ter sido incapaz de impedir falhas que provocaram o naufrágio  | Foto: Jim Watson / AFP / CP

Presidente Park Geun-hye pediu perdão por ter sido incapaz de impedir falhas que provocaram o naufrágio | Foto: Jim Watson / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

A presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, pediu perdão nesta terça-feira por ter sido incapaz de impedir as falhas que provocaram o naufrágio de uma balsa que deixou mais de 300 mortos e desaparecidos em 16 de abril.

Dois dias depois da renúncia do primeiro-ministro pelo mesmo motivo, a presidente lamentou as falhas que, segundo os primeiros elementos da investigação, contribuíram para a tragédia. "Lamento muito ter sido incapaz de corrigir os problemas que afetam há tanto tempo e que permitiram que acontecesse um acidente como este", declarou Park em um discurso exibido na televisão.

O governo sul-coreano é muito criticado pelas famílias das vítimas, que atribuem o naufrágio à corrupção de funcionários e a normas de segurança marítimas insuficientes.

A investigação deve estabelecer se a balsa, na qual viajavam 476 pessoas, incluindo 325 alunos de uma escola secundária, estava sobrecarregado por falhas ou omissões na área dos passageiros.

Os investigadores compareceram nos últimos dias nos escritórios da Guarda Costeira e da Agência de Vigilância do Tráfego Marítimo. As famílias também denunciaram a demora dos serviços de emergência. "Não sei como pedir perdão por não ter conseguido impedir este acidente e por primeiros socorros que foram insuficientes, disse Park.

A presidente visitou nesta terça-feira Ansan, ao sul de Seul, cidade dos 325 estudantes que estavam a bordo do "Sewol". Apenas 75 deles foram resgatados com vida.

Bookmark and Share