Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 29/04/2014
  • 09:57
  • Atualização: 10:07

Indiana denuncia estupro coletivo como punição por militância política

Grupo de homens teria atacado mulher e agredido filha de 13 anos

  • Comentários
  • AFP

Uma indiana muçulmana denunciou que mais de 12 homens a estupraram para puni-la por seu trabalho em favor da oposição nacionalista hindu nas eleições legislativas, informou a polícia nesta terça-feira. A mulher, do estado oriental de Jharkhand, denunciou à polícia que um grupo de homens a atacou em sua casa nessa segunda-feira e também agrediu sua filha de 13 anos. Seu marido teria sido amarrado durante o ataque.

Anurag Gupta, porta-voz da polícia de Jharkhand, declarou que o caso estava sendo investigado, mas disse que era muito cedo para confirmar se o ataque foi motivado por razões políticas. "É muito difícil dizer neste momento qual foi a razão exata por trás do incidente", afirma.

A vítima, de 30 anos, faz parte de uma ala "minoritária" do Partido Bharatiya Janata (BJP), que tenta atrair os eleitores muçulmanos a esta organização, favorita nas eleições.

Poucos muçulmanos são esperados para votar em favor do BJP, liderado pelo político linha-dura Narendra Modi, cuja reputação foi afetada pelos distúrbios religiosos em seu estado natal de Gujarat, em 2002. Modi, que segundo as pesquisas deve ser eleito primeiro-ministro em 16 de maio, era o chefe do Governo deste estado no momento em que conflitos religiosos explodiram, deixando mais de 1.000 mortos, em sua maioria muçulmanos.

A situação das mulheres é uma prioridade na agenda eleitoral, após a morte de um estudante devido a um estupro coletivo em um ônibus em Nova Delhi, em dezembro de 2012. Este caso provocou um debate nacional sobre a violência sexual no país.

Bookmark and Share