Porto Alegre, terça-feira, 21 de Outubro de 2014

  • 30/04/2014
  • 10:17
  • Atualização: 10:19

"Volta Lula" é "normal", comenta Dilma em rádios na Bahia

"Gostaria que, quando eu for candidata, eu tenha o apoio da minha própria base", diz presidente

  • Comentários
  • Agência Brasil

Em entrevista nesta quarta-feira a rádios de Salvador, a presidente Dilma Rousseff considerou “normal” o manifesto “volta Lula”, anunciado na última segunda-feira pelo líder do PR na Câmara, deputado Bernardo Vasconcellos (MG). Para Dilma, em ano eleitoral é possível ocorrer fatos “concebíveis” e “até inconcebíveis”.

“(O volta Lula) é uma situação normal. Gostaria que, quando eu for candidata, eu tenha o apoio da minha própria base. Mas não havendo esse apoio, vamos tocar em frente. Sempre por trás das coisas existem outras explicações. Daqui até o final do ano, tenho uma atividade importantíssima para fazer, que não posso me desligar”, explicou a presidente.

Manifesto do deputado Bernardo Vasconcellos (MG)

Na última segunda-feira, o líder do PR, leu um manifesto, assinado por 20 dos 32 deputados da bancada, em que pedem que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja candidato à Presidência da República. De acordo com o líder do PR, Lula é o único capaz de conduzir o país “neste momento de crise econômica”.

Em resposta ao radialista Mário Kertész, da rádio Metro1, Dilma ressaltou que gosta de sua função. “Eu gosto (de ser presidente), sabe por quê? Porque vamos fechar este ano com mais 750 mil cisternas construídas no Semiárido. Com as cisternas construídas no governo do ex-presidente Lula e no meu, vamos chegar a 1,1 milhão de unidade. Isso me faz gostar muito de ser presidente”, destacou. Dilma citou também números do Pronatec e do Programa Minha Casa, Minha Vida para justificar o gosto de estar no cargo.

Bookmark and Share