Correio do Povo

Porto Alegre, 31 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
14ºC
Amanhã
17º 25º


Faça sua Busca


Notícias > Política

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

03/05/2014 15:55 - Atualizado em 03/05/2014 15:57

Candidatura de Dilma à reeleição é 'irreversível', diz presidente do PT

Rui Falcão voltou a negar que ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concorrerá à Presidência

A candidatura à reeleição da presidente Dilma Rousseff é "irreversível", garantiu neste sábado o presidente nacional do PT, Rui Falcão, buscando reafirmar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não a substituirá na corrida pelo Palácio do Planalto.

"Acho que isso ficou muito claro", afirmou, referindo-se ao consenso do 14.º Encontro Nacional do partido, realizado em São Paulo e que formalizou a pré-candidatura da presidente. "Estamos dizendo há muito tempo que ela é a nossa candidata." Segundo Falcão, Lula será o chefe da campanha de Dilma independente de ter um cargo formal ou não. "Lula é o grande comandante", afirmou.

"Ele transcende qualquer estrutura organizacional. Lula não precisa ter cargo para estar no dia a dia da campanha." O secretário nacional de Comunicação, vereador José Américo, admitiu, no entanto, que Lula poderá sim ter "algum cargo" na coordenação de campanha, mas não será o de coordenador.

Falcão também destacou quais serão as táticas eleitorais para a campanha de Dilma Rousseff. "Buscamos a continuidade do projeto do PT e isso se dá com a reeleição de Dilma", afirmou. A intenção do PT, segundo ele, é de que a campanha tenha uma participação efetiva da sociedade, dos sindicatos e de parlamentares. Além disso, o PT quer evitar palanques duplos nos Estados, mas caso isso não seja possível a sigla buscará trabalhar "democraticamente" com outros partidos.

O presidente nacional do PT reconheceu que a campanha pela reeleição de Dilma será "difícil", uma vez que a disputa se dará com adversários que têm força na "elite e na imprensa", avaliou, referindo-se ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) e ao ex-governador pernambucano Eduardo Campos, do PSB.

Questionado sobre o impacto eleitoral de uma suposta ligação do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha com um laboratório do doleiro Alberto Youssef -investigado em operação da Polícia Federal -, Falcão afirmou que não há motivo para retirar Padilha da disputa pelo governo do Estado de São Paulo porque o ex-ministro é "inocente".

Diretrizes

O texto de Diretrizes do Programa de Governo Dilma Presidenta 2014, previsto para ser votado no encontro do PT deve ser aprovado somente nas próximas semanas. Os 800 delegados presentes ao evento fizeram emendas ao texto e elegeram uma comissão de sistematização que vai avaliá-las e dar a redação final ao documento.

Segundo a assessoria do PT, a comissão possui representantes de todas as correntes que formam partido. A intenção é que a redação final esteja concluída ainda este mês para que a campanha eleitoral ganhe força no mês de junho. O texto com as diretrizes para o eventual segundo mandato de Dilma deve ser encaminhado para aprovação em reunião do Diretório Nacional. 

Bookmark and Share


Fonte: AE






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.