Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 05/05/2014
  • 22:56

Quatro pessoas são condenadas por introdução ilegal de estrangeiros no País

Imigrantes ilegais foram flagrados pela Polícia Federal no Sul do Estado

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

A 1ª Vara Federal de Uruguaiana, na fronteira com a Argentina condenou nesta segunda-feira quatro pessoas acusadas de auxiliar um grupo de chineses a entrar ilegalmente no Brasil. O Ministério Público Federal (MPF) ofereceu denúncia com base em investigações realizadas pela Polícia Federal (PF). De acordo com o inquérito, os estrangeiros chegaram ao Brasil em voos vindos de Pequim com destino ao aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. Após descerem das aeronaves, eles foram conduzidos até São Paulo, onde se encontraram com um dos réus, responsável por levá-los até Porto Alegre e, da Capital, até Uruguaiana. No município, mais três homens prestaram o apoio e o transporte necessários para os sete chineses cruzarem a fronteira com Paso de Los Libres.

Os imigrantes ilegais foram flagrados pela Polícia Federal já no Sul do Estado. Os agentes foram alertados pelos carimbos de entrada no País, afixados sobre os vistos nos passaportes dos viajantes, o que levantou suspeitas sobre uma possível falsificação. Para o juiz Guilherme Beltrami, as provas apresentadas comprovaram a irregularidade.

O magistrado condenou os denunciados – dois brasileiros, um argentino e um chinês – pelos crimes de introdução e ocultação de estrangeiros irregulares no País e formação de quadrilha. Dois dos réus receberam pena de dois anos, um mês e 15 dias de detenção, além de um ano e cinco meses de reclusão. Os demais foram condenados a um ano, sete meses e 15 dias de detenção e, ainda, um ano e cinco meses de reclusão. Cabe recurso da sentença.

Município aparece na rota de “coiotes”
Desde junho de 2012, ocorreram várias prisões em flagrante de supostos “coiotes” atuando na região de Uruguaiana. Só na 1ª Vara Federal, há processos sobre a entrada irregular de africanos e chineses. A Justiça já havia condenado um grupo de pessoas pelos mesmos crimes em agosto do ano passado.

Bookmark and Share