Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 07/05/2014
  • 07:07
  • Atualização: 07:28

Álcool adulterado mata 63 pessoas no Quênia

Quase 70 pessoas foram hospitalizadas no país

  • Comentários
  • AFP

Pelo menos 63 pessoas morreram desde segunda-feira em várias regiões do Quênia após o consumo de álcool adulterado, anunciou a polícia do país. Segundo fontes médicas, quase 70 pessoas continuam hospitalizadas no país. "Ainda não sabemos qual o conteúdo da bebida estas pessoas consumiram", declarou o médico Gerald Ndiritu, diretor do hospital de Embu, 130 quilômetros ao Nordeste de Nairóbi, uma das áreas com mais vítimas.

As intoxicações fatais aconteceram a partir da manhã de segunda-feira em vários pontos do Leste e Centro do Quênia, separados por uma centena de quilômetros. "Estamos tentando determinar a origem do álcool. Investigamos onde e como foi preparado", disse o policial Ziporah Mboroki.

O Quênia é um país com alto consumo de bebidas alcoólicas produzidas de forma artesanal, sobretudo nos bairros pobres. Este tipo de bebida costuma ser destilado a partir do milho fermentado ou do sorgo e é vendida ilegalmente. Alguns produtores adicionam metanol ou outros produtos tóxicos para aumentar a taxa de álcool, o que já provocou vários casos fatais no país.

Bookmark and Share