Porto Alegre, quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

  • 07/05/2014
  • 18:51
  • Atualização: 18:54

Prefeitura procura proprietários de terreno onde idoso foi atropelado ao cair de calçada

Local é área de invasão, explicou a Prefeitura da Capital

Prefeitura ainda busca proprietários de terreno onde idoso tropeçou | Foto: Samuel Maciel

Prefeitura ainda busca proprietários de terreno onde idoso tropeçou | Foto: Samuel Maciel

  • Comentários
  • Samantha Klein / Rádio Guaíba

A Secretaria Municipal de Obras de Porto Alegre ainda não conseguiu notificar o proprietário do terreno com a calçada irregular onde um idoso morreu ao perder o equilíbrio e ser atropelado por um ônibus, na manhã dessa terça-feira, na avenida Plínio Brasil Milano, na Zona Norte. A Prefeitura segue buscando nos registros os nomes dos responsáveis, mas destacou que o local é área de invasão e que não houve denúncias sobre a situação do calçamento.

Caso os donos não sejam encontrados, a Prefeitura vai publicar uma notificação em jornais de grande circulação até o fim da semana. A partir disso, os proprietários terão dez dias para recuperar a calçada.Em um terreno ao lado do local onde ocorreu o acidente, ainda há um prédio abandonado. Os proprietários também poderão ser multados se for comprovado o descarte irregular de materiais de construção na calçada.

O chefe do setor de calçamento da Secretaria de Obras, Décio Hugentobler, ressaltou que a Prefeitura tenta localizar os proprietários dos números 1925 e 1929, para que realizem o reparo. “O número 1929 está a cargo da SMOV onde o morador não está morando lá, é um local de invasão. No endereço ao lado, a Secretaria do Urbanismo vai notificar o proprietário. Não há possibilidade de a Prefeitura pagar pela reforma de algo que é privado”, destacou.

A Caixa Econômica Federal ainda pode ser responsabilizada. A Secretaria da Fazenda informou inicialmente que o terreno onde há o prédio em construção foi penhorado pelo banco ainda em 1969. A Caixa pediu informações atualizadas para a SMOV nesta quarta-feira, já que a propriedade pode ter sido transferida e a Prefeitura não ter sido notificada.

O pedestre Villis Antônio Borghetti, de 87 anos, foi atingido por um veículo da empresa Conorte nessa terça-feira e morreu na hora.

Bookmark and Share