Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 07/05/2014
  • 22:56
  • Atualização: 23:04

Maluf tenta acordo para encerrar ação em Nova Iorque

Ex-governador de São Paulo teve ordem de prisão preventiva decretada em 2007 nos EUA

  • Comentários
  • AE

Os advogados do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) sugeriram um acordo à Promotoria de Nova Iorque para que ele se livre de uma ordem de prisão preventiva decretada em 2007.

Segundo reportagem publicada nesta quarta-feira, no jornal Folha de S.Paulo, o parlamentar e ex-governador paulista sugeriu pagar US$ 1 milhão (R$ 2,2 milhões) em troca do benefício. Com isso, Maluf espera poder voltar a viajar para o exterior sem correr o risco de ser preso.

No dia 18 de abril, o blog do jornalista Fausto Macedo no portal Estadão.com.br revelou que a Suprema Corte de Nova Iorque rejeitou outro pedido do deputado federal de anulação do processo pelo qual foi decretada a prisão de Maluf e de um dos filhos, o empresário Flávio Maluf.

Ambos são réus desde 2007 nos Estados Unidos sob a acusação de roubo, fraude e lavagem de dinheiro. Os recursos foram supostamente desviados de obras da Prefeitura de São Paulo quando Maluf era prefeito da capital, entre 1993 e 1996.

O dinheiro depositado nos Estados Unidos, segundo a acusação, é apenas uma parte de um montante relativo a fraudes em obras viárias de grande porte por ele contratadas durante o governo, como a construção da avenida Água Espraiada, na zona Sul da cidade, que atualmente é chamada de avenida Jornalista Roberto Marinho. Maluf é acusado por promotores brasileiros de ter desviado US$ 340 milhões, o que equivalente a R$ 758 milhões.

Em função da ação, o nome de Maluf entrou desde 2009 para a lista de procurados da Interpol, rede policial que reúne agentes de 190 países.

Bookmark and Share