Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 08/05/2014
  • 13:07
  • Atualização: 13:11

Igreja Católica pede libertação de jovens raptadas na Nigéria

Mais de 200 adolescentes foram sequestradas por grupo islâmico

  • Comentários
  • Agência Brasil

O Vaticano pediu nesta quinta-feira a libertação das mais de 200 adolescentes raptadas na Nigéria pelo grupo islâmico Boko Haram e manifestou compaixão e horror. Na Rádio Vaticano, o porta-voz do Papa, Federico Lombardi, condenou as "formas horríveis de violência" que caracterizam a atividade do grupo. "O rapto de grande número de meninas pelos terroristas do Boko Haram vem juntar-se a outras formas de violência que caracterizam há muito tempo a atividade desse grupo na Nigéria", acrescentou o padre.

"A negação de todo o respeito pela vida e pela dignidade das pessoas – incluindo as mais inocentes, vulneráveis e indefesas -, exige uma condenação extremamente firme. Ela suscita compaixão pelas vítimas, horror pelos sofrimentos físicos e espirituais e pelas humilhações inacreditáveis que estão sendo feitas", disse o porta-voz do Vaticano.

A Santa Sé "junta-se aos inúmeros apelos pela libertação das jovens e pelo seu regresso às condições de vida normais", acrescentou.  Ativo desde 2009, o Boko Haram pretende criar um Estado islâmico no Norte da Nigéria, essencialmente muçulmano, ao contrário do Sul, onde os cristãos são maioria. "A educação não islâmica é pecado" é o significado de Boko Haram em haussa, a língua mais falada no Norte do país mais populoso de África, com mais de 160 milhões de habitantes.

A escalada de violência na Nigéria despertou um sentimento de revolta no país e na comunidade internacional, que condenou energicamente o rapto das menores no dia 14 de abril, em uma escola de Chibok, e ofereceu ajuda ao governo para resgatar as jovens que, segundo o chefe do grupo, poderão ser vendidas.  

Bookmark and Share