Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
17ºC
Amanhã
14º 24º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

08/05/2014 16:13 - Atualizado em 08/05/2014 18:00

Falso intérprete do funeral de Mandela aparece em comercial

Thamsanqa Jantjie fingiu saber de linguagem de sinais na cerimônia

Thamsanqa Jantjie fingiu ser intérprete de linguagem de sinais<br /><b>Crédito: </b> Reprodução CP
Thamsanqa Jantjie fingiu ser intérprete de linguagem de sinais
Crédito: Reprodução CP
Thamsanqa Jantjie fingiu ser intérprete de linguagem de sinais
Crédito: Reprodução CP

O falso intérprete de linguagem de sinais que traduziu os discursos dos chefes de Estado durante a cerimônia em
homenagem a Nelson Mandela em dezembro, foi contratado para fazer propaganda de um aplicativo lançado pela empresa israelense Livelens, onde faz piada de si mesmo. Na cerimônia ao ex-chefe de Estado sul-africano, Thamsanqa Jantjie provocou indignação ao fingir ser intérprete de linguagem de sinais. Ele se justificou dizendo ser esquizofrênico.

Na propaganda postada na internet, Jantjie diz: "Olá, eu sou Thamsanqa Jantjie do funeral de Nelson Mandela!" "Acredite em mim, eu sou um verdadeiro intérprete de linguagem de sinais", diz, enquanto é dublado por uma voz feminina: "Eu não falo na língua de sinais. Eu estou realmente arrependido pelo que aconteceu", prossegue, enquanto a voz feminina diz: "Eu, uma celebridade! Hoje, vou me desculpar para o mundo inteiro. Hoje, faço publicidade por dinheiro". 

Ao final da propaganda, Thamsanqa Jantjie larga o paletó e começa a dançar. A companhia Livelens não respondeu a um pedido de comentário. "Não pensávamos que o nosso anúncio em vídeo despertaria tanto interesse", escreveu a empresa em sua página no Facebook. "Não há absolutamente nenhuma falta de respeito para com os surdos ou qualquer outra pessoa!", garantiu.

De acordo com a NBC, o comercial foi filmado em fevereiro quando Thamsanqa Jantjie deixou o hospital psiquiátrico onde permaneceu internado por mais de um mês. "Decidimos que o cara que fez o pior espetáculo do mundo seria a melhor pessoa" para promover o aplicativo que permite compartilhar vídeos, explicou Max Bluvband, diretor da empresa à NBC. "Finalmente, um homem esquizofrênico ganhou dinheiro para fazer uma bela campanha. Nós vemos isso como uma espécie de história triste com um final feliz", disse o gerente de marketing da Livelens.



Bookmark and Share



Fonte: AFP






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.