Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 08/05/2014
  • 20:02
  • Atualização: 20:15

Justiça condena 75 ex-policiais por sequestro na ditadura chilena

Regime militar do ditador Augusto Pinochet deixou 3200 mortos e 38 mil detidos e torturados

  • Comentários
  • AFP

Um juiz chileno condenou à prisão um grupo de 75 ex-agentes da polícia secreta do ditador Augusto Pinochet envolvidos no sequestro, em 1974, de um dirigente do Movimento de Esquerda Revolucionária (MIR) no Chile.

O juiz Hernán Crisosto condenou a penas de entre 4 e 13 anos de prisão 75 ex-agentes da Direção de Inteligência Nacional (Dina) por sua responsabilidade no sequestro de Jorge Grez Aburto, preso desaparecido desde 23 de maio de 1974", revela uma nota do Poder Judiciário divulgada nesta quinta-feira.

A sentença é em primeira instância e cabe recurso.

O processo revela que os agentes da temida Dina capturaram Grez - líder e fundador do MIR - e o levaram a um
local clandestino de detenção no centro de Santiago, onde o refém foi torturado durante interrogatórios sobre
"suas atividades e o paradeiro de seus companheiros políticos".

Grez Aburto foi visto com vida pela última vez em julho de 1974.

Segundo o processo, o líder do MIR seria um dos alvos da chamada "Operação Colombo", uma armação midiática
organizada pela ditadura para encobrir o desaparecimento de 119 pessoas em 1975, pela qual foram condenados
seis destacados ex-agentes da Dina, incluindo o então chefe do organismo, Manuel Contreras.

O regime militar chileno deixou 3.200 mortos e 38 mil detidos e torturados.

Bookmark and Share