Porto Alegre, segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

  • 09/05/2014
  • 10:21
  • Atualização: 11:32

Advogada é presa suspeita de seduzir detento e roubar R$ 400 mil

Mulher também seria mandante de duplo homicídio em Imbé

  • Comentários
  • Correio do Povo e Rádio Guaíba

Uma advogada de 40 anos está presa no Presídio Estadual de Torres, no Litoral Norte, suspeita de seduzir um detento para roubar R$ 400 mil referentes ao patrimônio do apenado. Segundo o titular da Delegacia de Polícia de Imbé, delegado Valeriano Garcia Neto, a mulher oferecia a presidiários trabalho de revisão criminal para reduzir penas e "auxílio espiritual", dizendo-se evangelizadora.

Neto explicou que a advogada foi detida na semana passada porque seria mandante de um duplo homicídio ocorrido em março, em Imbé. As vítimas foram a irmã e o cunhado do apenado que está detido na Penitenciária Modulada Estadual de Osório, com quem a mulher manteve um relacionamento íntimo entre 2012 e 2013. A advogada convenceu o presidiário a assinar procurações no nome dela e, aos poucos, ela foi transferindo os bens para o nome dela. Assim que concluiu o negócio, acabou o relacionamento.

A irmã do detento percebeu que havia algo errado e chegou a representar contra a advogada na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Segundo a investigação da polícia, havia uma disputa judicial pelos bens do apenado – um imóvel e um veículo, o que teria motivado a advogada a "manda matar" a irmã e o cunhado do presidiário.

O delegado relatou que para agir livremente, a advogada costumava afastar o preso da família. Ainda segundo Neto, ela é casada com um detento que cumpre pena no Presído Estadual de Camaquã. O inquérito está em fase de conclusão e deve ser remetido à Justiça na segunda-feira.

Bookmark and Share