Correio do Povo

Porto Alegre, 30 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
10ºC
Amanhã
17º 26º


Faça sua Busca


Notícias > Polícia

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

11/05/2014 17:11 - Atualizado em 11/05/2014 17:15

Vice-prefeito de Faxinalzinho vê clima mais calmo na cidade

Aulas no município só devem retornar a partir de quarta-feira

Vice-prefeito de Faxinalzinho vê clima mais calmo na cidade<br /><b>Crédito: </b> Rodrigo Finardi / Especial CP
Vice-prefeito de Faxinalzinho vê clima mais calmo na cidade
Crédito: Rodrigo Finardi / Especial CP
Vice-prefeito de Faxinalzinho vê clima mais calmo na cidade
Crédito: Rodrigo Finardi / Especial CP

Mesmo com o clima ainda tenso em Faxinalzinho, no Norte do Estado, o prefeito em exercício do município, James Ayres Torres, fez questão de preparar um churrasco com sua família e as de seus irmãos. No dia das mães, ele mandou uma mensagem especial a “dona Lebrantina, mãe dos guris”, referindo-se a senhora Lebrantina de Souza, mãe dos irmãos Anderson e Alcemar de Souza, que foram mortos há duas semanas no interior de Faxinalzinho.

Indígenas são os suspeitos do crime. Cinco deles foram detidos pela Polícia Federal na sexta-feira, o que desencadeou um clima de insegurança na cidade, fazendo com que efetivos policiais de Erechim e Passo Fundo fossem deslocados para reforçar a segurança.

Depois a ação da Polícia Federal prendendo cinco indígenas sexta-feira, suspeitos de participação na morte dos irmãos Souza, criou-se um clima de grande expectativa e muita apreensão no município, levando ao deslocamento de contingentes policiais ao município. “Após a ação da polícia não se sabia da reação”, comentou Torres. Porém, passados dois dias, ele disse que se “surpreendeu pelo lado positivo”, à medida em que os indígenas também se acalmaram.

Para ele, um dos indicativos nesse sentido foi o desbloqueio da estrada que liga Faxinalzinho a Benjamin Constant do Sul, passando dentro da Reserva do Votouro. “Não se sabia como seria a reação dos indígenas, mas hoje (domingo) está tudo tranquilo”, amenizou. Conforme Torres, a Brigada Militar continua monitorando possíveis deslocamentos de índios em outras cidades.

Aulas só a partir da quarta-feira

Mas apesar da aparente tranquilidade, a rotina em Faxinalzinho ainda não está tão próxima de retornar à normalidade. Nesta segunda-feira é feriado no município, que comemora 26 anos de fundação. Na terça o prefeito em exercício vai reunir a secretaria de Educação e Esporte do município, direções das escolas e professores. “Não vamos retomar as aulas terça-feira, como estava previsto inicialmente. Primeiro vamos ouvir os professores”, projetou James Torres, acreditando que é provável que as aulas nas quatro escolas municipais e nas duas estaduais voltem quarta-feira. São cerca de 600 alunos que estão há 13 dias sem aulas. Ele afirmou que a volta às aulas nas escolas do estado em Faxinalzinho também depende do município, que faz o transporte escolar.

Ele fica no cargo durante toda a semana, pois o prefeito Selso Pelin viajou a Brasília para participar da Marcha dos Prefeitos. Pelin conseguiu incluir na pauta gaúcha dos chefes de executivos que estão em Brasília a questão delicada pela posse de terras, que ganhou contornos mais graves a partir do episódio da morte dos irmãos Souza.

Bookmark and Share

Fonte: José Ody / Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.