Correio do Povo

Porto Alegre, 21 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
15ºC
Amanhã
11º 19º


Faça sua Busca


Notícias > Tecnologia

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

12/05/2014 21:20 - Atualizado em 12/05/2014 21:43

Sony cria fita que pode armazenar 47,3 milhões de músicas

Nova tecnologia grava cerca de 58 gigabytes de informação por centímetro

Fitas antigas armazenavam centenas de vezes menos informação<br /><b>Crédito: </b> Reprodução CP
Fitas antigas armazenavam centenas de vezes menos informação
Crédito: Reprodução CP
Fitas antigas armazenavam centenas de vezes menos informação
Crédito: Reprodução CP

A gigante japonesa Sony anunciou na última semana um "retorno" da fita cassete à informática moderna. Durante a feira Intermag Europe, em Dresden (Alemanha), a companhia revelou um método de gravação magnética que permite armazenar 185 terabytes, o suficiente para armazenar 3,7 mil discos blu-ray ou 47,3 milhões de músicas.

Através de um novo processo físico-químico, pesquisadores japoneses obtiveram uma fita capaz de gravar 58 gigabytes de informação por centímetro. O segredo está numa superfície uniforme criada para receber as informação, conforme a companhia.

Apesar da possibilidade de armazenar milhares de filmes em alta definição ser interessante, a nova fita cassete não deve chegar ao público consumidor final. O problema é que o acesso à informação nas fitas é muito mais lento que em discos, pen-drives e HDs. A principal utilização da nova tecnologia deverá ser em bancos de dados de governos e servidores de internet, que precisam armazenar grandes volumes de dados, mas sem necessidade do acesso em tempo real.

Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.