Correio do Povo

Porto Alegre, 26 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
10ºC
Amanhã
18º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

13/05/2014 09:18 - Atualizado em 13/05/2014 09:42

Governo sírio é acusado de ataques com cloro em três cidades

Médicos indicaram que pelo menos 11 pessoas morreram

O exército sírio bombardeou em abril três cidades da Síria com barris de cloro, afirma a organização Human Rights Watch (HRW), que alega ter provas sólidas sobre os ataques. "As provas sugerem fortemente que os helicópteros do governo sírio lançaram barris de cloro contra cidades do norte da síria em meados de abril", afirma a HRW, uma ONG com sede em Nova Iorque.

Fontes da oposição acusaram o regime de ter executado vários ataques com cloro, enquanto a televisão estatal síria atribuiu um ataque deste tipo aos jihadistas da Frente Al-Nosra. Os médicos que trataram as vítimas indicaram que pelo menos 11 pessoas morreram nos ataques e que quase 500 apresentavam "sintomas correspondentes a uma exposição ao cloro", afirma o comunicado da HRW.

Os ataques aconteceram em Kafr Zita, província de Hama, em 11 e 18 de abril, em Al-Temana, na província de Idleb, em 13 e 18 de abril, e em Telmans (Idleb) em 21 de abril, segundo o comunicado. As três cidades são controladas pelos rebeldes.

Um vídeo mostra, nas localidades atacadas, barris com o código CL2, símbolo do cloro, segundo a HRW, que no entanto não conseguiu confirmar de forma independente se teriam sido lançados pelos helicópteros. Mas a organização considera pouco provável que fosse um jogo de cena, já que médicos e testemunhas relataram sintomas correspondentes a "uma exposição ao cloro". "O uso aparente de cloro como arma - sem falar do fato que aponta para civis - é uma flagrante violação da lei internacional", afirmou Nadim Houry, subdiretor de HRW para o Oriente Médio e a África do Norte. "É uma razão a mais para que o Conselho de Segurança da ONU leve o caso da Síria ao Tribunal Penal Internacional", completou Houry.

Em abril, a Organização para a Proibição das Armas Químicas (OPAQ) anunciou que investigaria as acusações de ataques com cloro na Síria.

Bookmark and Share


Fonte: AFP






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.