Correio do Povo

Porto Alegre, 22 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
23ºC
Amanhã
19º 29º


Faça sua Busca


Notícias > Política

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

14/05/2014 00:06 - Atualizado em 14/05/2014 00:35

“PT é página virada”, diz novo presidente do TSE

Ex-assessor de José Dirceu, Dias Toffoli comandará eleição presidencial

Ex-assessor de José Dirceu, Dias Toffoli comandará eleição presidencial<br /><b>Crédito: </b> Agência Brasil / CP
Ex-assessor de José Dirceu, Dias Toffoli comandará eleição presidencial
Crédito: Agência Brasil / CP
Ex-assessor de José Dirceu, Dias Toffoli comandará eleição presidencial
Crédito: Agência Brasil / CP

O ministro Dias Toffoli, que assumiu nesta terça-feira a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse que sua ligação com o PT é “página virada”. Toffoli foi advogado do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva nas campanhas de 2002 e de 2006 e já defendeu o petista no tribunal. Segundo o ministro, ter sido advogado do partido não lhe causa constrangimento para comandar a eleição presidencial deste ano. “De maneira nenhuma. Desde minha indicação para o Supremo Tribunal Federal (STF) e minha aprovação no Senado, eu virei a página. Hoje sou juiz, desde 2009, eu sou juiz, e meu compromisso é com a Constituição”, frisou.

Toffoli destacou que teve aprovação de dois terços dos senadores, inclusive da oposição, para integrar o STF. A escolha do presidente do TSE é feita de forma burocrática. Com o fim do mandato do ministro Marco Aurélio Mello, a vaga é dada automaticamente ao ministro mais antigo da Corte, que ainda não tenha ocupado o cargo.

O novo presidente do TSE disse que o tribunal vai analisar a prestação de contas dos partidos e que, se houve irregularidade sobre a utilização de verbas do fundo partidário para pagar a defesa de réus do mensalão, isso será analisado pelo tribunal. “Se houve a utilização de recursos do fundo para alguma atividade, que não a atividade exclusivamente partidária, haveria irregularidade”, disse o ministro. “O tribunal em momento oportuno vai julgar e decidir.”

Toffoli também comentou a informação de que PT, PSDB e PSB juntos estimam gastar R$ 500 milhões, a maior parte com doações de empresas. Toffoli relatou ser favorável à doação mista como novo modelo de financiamento de campanha, dividindo entre parte pública e pessoa física. “Ele (o cidadão) vai se sentir mais comprometido a cobrar, a criticar e a participar da democracia. Eu sempre lembro que essa questão de financiamento não é financiamento de partido ou de campanha, é financiamento da democracia. Quem financia a democracia hoje são grandes setores econômicos, não a cidadania”, afirmou.

Ex-assessor de José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil condenado pelo Supremo no processo do mensalão, Toffoli deve ficar na presidência do TSE pelos próximos dois anos. A posse teve a presença da presidente Dilma Rousseff e de dois possíveis candidatos à Presidência da República: o senador Aécio Neves (PSDB) e o presidente do PSB, Eduardo Campos.

Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo





» Tags:Política PT TSE

O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.