Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 15/05/2014
  • 13:38
  • Atualização: 13:47

Smam começa remover eucalipto que corria risco de queda na Redenção

Área foi isolada para garantir a segurança dos frequentadores do parque

Árvore encontra-se em estado avançado de deterioração interna | Foto: Aline Czarnobay/Divulgação PMPA /CP

Árvore encontra-se em estado avançado de deterioração interna | Foto: Aline Czarnobay/Divulgação PMPA /CP

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

Começaram na manhã desta quinta-feira os trabalhos de remoção de um eucalipto com 24 metros de altura no Parque Farroupilha (Redenção), na zona central de Porto Alegre. O vegetal, localizado próximo ao orquidário, encontra-se em estado avançado de deterioração interna e, conforme o relatório do Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo (IPT), é necessária a intervenção emergencial.

A área foi isolada para garantir a segurança dos frequentadores do parque. Trabalham na remoção, que deverá se estender até o final da tarde de sexta-feira cinco funcionários da zonal centro, o diretor de praças e parques da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam), engenheiro agrônomo Sérgio Tomasini, e o engenheiro agrônomo Matheus Laurent, responsáveis técnicos.

O funcionário Manoel Antunes Pinto opera o caminhão cesto, com braço de 25 metros, sendo auxiliado pelos colegas Alvim Ferreira dos Santos, Osvaldo da Silva Neto, João Batista Araújo e Jefferson de Oliveira Neto. A supressão é realizada de cima para baixo, cortando-se a árvore em “fatias”. Para os galhos de maior porte, é necessária a amarração com cordas, a fim de evitar que o tombamento provoque algum dano.

Também estão sendo podados galhos de uma tipuana que se encontra muito próxima ao eucalipto, a fim de que se possibilite a remoção. “É importante destacar que este estudo do IPT utilizou equipamentos como o penetrógrafo, com uma broca que, ao ser inserida na madeira, pode determinar a ausência de materiais e tecidos internos, e também o tomógrafo, equipamento que fornece uma imagem interna da árvore. Externamente não há nenhum indício de comprometimento da árvore”, ressalta Tomasini.

Posteriormente, a remoção será compensada com o plantio de uma nova árvore. Técnicos farão análise do tipo de solo, espaço disponível e umidade do local, identificando qual a espécie mais apropriada.

Os relatórios preliminares do IPT apontam para necessidade de manejo em 12 árvores, as quais foram analisadas internamente em fevereiro. Dessas, oito serão substituídas por apresentarem risco de queda, sendo três eucaliptos no Parque Farroupilha, uma grevilha na rua Guilherme Alves, um guapuruvu na Praça da Alfândega, um plátano na rua Padre Tomé Conte, uma tipuana na Praça Dom Feliciano e outra tipuana na rua Gonçalo de Carvalho. Outros quatro vegetais serão podados (dois eucaliptos no Parque Farroupilha, um guapuruvu na Praça da Alfândega e um guapuruvu na Praça Dom Feliciano). Novas remoções serão agendadas a partir da próxima semana.

Conforme o secretário, Cláudio Dilda, a Smam está aprimorando o processo de verificação e manejo da arborização permanentemente. “Por isso, está em estudo a aquisição de um equipamento tecnológico para este fim. Ainda não sabemos qual o mais adequado às necessidades de uma cidade como Porto Alegre, com mais de 1,3 milhão árvores somente nas vias públicas, mas contamos com o auxílio do IPT para estas definições”.

Localização dos vegetais analisados
Dos 150 vegetais, 86 situam-se na Redenção, 13 na Praça Dom Feliciano, 13 na rua Padre Thomé, 12 na Praça da Alfândega, 11 na Praça da Matriz, dois na Praça XV de Novembro e dois na Guilherme Alves. No Parque Moinhos de Vento (Parcão), na praça José Comunal e nas vias João Pessoa, Gonçalo de Carvalho, Andradas, Barão do Gravataí, João Alfredo, Teresópolis, Saicã, Felizardo Furtado e Protásio Alves haverá avaliação de um vegetal em cada um desses locais.

Bookmark and Share