Correio do Povo

Porto Alegre, 28 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
6ºC
Amanhã
10º 23º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

16/05/2014 16:37 - Atualizado em 16/05/2014 16:46

MP denuncia 14 pessoas na 5ª fase da Operação Leite Compen$ado

No total, Ministério Público citou ocorrência de 69 crimes de adulteração do produto

Sede da Hollmann, onde um dos denunciados foi preso<br /><b>Crédito: </b> Divulgação MP / CP
Sede da Hollmann, onde um dos denunciados foi preso
Crédito: Divulgação MP / CP
Sede da Hollmann, onde um dos denunciados foi preso
Crédito: Divulgação MP / CP

O Ministério Público do Rio Grande do Sul, nesta sexta-feira, ao Judiciário, denúncia contra 14 pessoas por envolvimento em fraude do leite desarticulada pela quinta fase da Operação Leite Compen$ado, deflagrada na semana passada. Foram presos os proprietários da Pavlat, Ércio Vanor Klein; da Hollmann, Sérgio Seewald; e o responsável pela política leiteira da Hollmann, Jonatas William Krombauer. Os três responderão por adulteração de produto alimentício. Também foram denunciados 11 transportadores ligados às indústrias investigadas pelo MP. No total, o promotor Mauro Rockenbach apontou a ocorrência de 69 crimes. Conforme ele, esse foi o total de adulterações verificadas nesta etapa. A pena para cada crime varia de quatro a oito anos. O proprietário e o funcionário da Hollmann responderão por 45 crimes cada e o dono da Pavlat por 24.

O promotor fala que a responsabilidade ocorre tanto pelos transportadores, que levaram leite impróprio para as indústrias, quanto pela Pavlat e Hollmann, que diluiram os produtos para venda. Segundo ele, não é possível saber em qual etapa do processo ocorreu a adição de produtos, mas laudos confirmaram que a acidez do leite cru era corrigida usando produtos como citrato, soda cáustica, bicarbonato de sódio e água oxigenada.

Segundo o MP, pelo menos 1 milhão de litros de leite foram adulterados pela Pavlat e Hollmann. Os lotes identificados foram retirados de circulação. O Ministério da Agricultura colocou as duas indústrias em Regime Especial de Fiscalização (REF). Durante o prazo de vigência do regime especial, as ações de inspeção nas empresas serão intensificadas e nenhum produto vai poder ser liberado para venda até que resultados de análises oficiais de cada lote produzido demonstrem estar em conformidade com os padrões.

Veja a lista de denúncias por adulteração de leite:

Sergio Alberto Seewald, proprietário da Hollman – 45 denúncias
Jonatas William Kronbauer, funcionario Hollman – 45 denúncias
Ércio Vanor Klein, proprietário da Pavlat – 24 denúncias
Luciano André Petry, transportador – 14 denúncias
Fábio Gustavo Lohmann, transportador – 10 denúncias
Claudio José Richter, transportador – 4 denúncias
Olécio Jose Muller, transportador – 4 denúncias
Décio Bruxel, transportador – 3 denúncias
Carlos Eduardo Delavy, transportador- 2 denúncias
José Rodrigo Scherer, transportador – 2 denúncias
Dirceu Lutterbeck, transportador – 2 denúncias
José Omar Pedersini, transportador – 2 denúncias
Maicon De Conto, transportador – 1 denúncia
Aldacir José Barro, transportador – 1 denúncia

Bookmark and Share


Fonte: Camila Kila / Rádio Guaíba






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.