Porto Alegre, quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

  • 17/05/2014
  • 09:17
  • Atualização: 09:18

Caminhoneiros lamentam falta de acostamento na ERS 135

Administrada pela EGR, rodovia tem boas condições, mas não conta com faixa em grande parte da extensão

Caminhoneiros lamentam falta de acostamento na ERS 135 | Foto: Acácio Silva / Especial CP

Caminhoneiros lamentam falta de acostamento na ERS 135 | Foto: Acácio Silva / Especial CP

  • Comentários

Na ERS 135, que liga Passo Fundo a Erechim, na região Norte do Estado, as condições de trafegabilidade são boas. A principal queixa dos usuários é a falta de acostamento na maior parte do trecho de 78,3 quilômetros da rodovia, administrados pela Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR).

Em 2013, a rodovia foi restaurada em trechos que estavam com problemas. Em Passo Fundo foram restaurados 12 quilômetros da estrada, até o posto do pedágio, em Coxilha. O caminhoneiro Adalberto Siqueira da Silva, que faz diariamente o trajeto Passo Fundo/Erechim, transportando carga, disse que as condições da estrada são boas, mas reclama da falta de acostamento. Segundo ele, em caso de emergência, praticamente não há espaços para estacionar.

Outro caminhoneiro, Adão Araújo, defende a duplicação da ERS 135. Para ele, o grande movimento, especialmente de caminhões, requer a urgente duplicação da rodovia. Ele também entende que a falta de acostamento é preocupante.

Bookmark and Share