Porto Alegre, sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

  • 20/05/2014
  • 10:14
  • Atualização: 10:20

Tropas russas começam a desmontar acampamentos na fronteira com Ucrânia

Forças militares se deslocarão até estações rodoviárias antes de chegar aos quartéis

  • Comentários
  • AE

O Ministério da Defesa da Rússia informou nesta terça-feira que as tropas do país já começaram a desmontar os
acampamentos na fronteira com a Ucrânia e estão se preparando para retornar aos quartéis.

Um dia depois de o presidente russo, Vladimir Putin, anunciar um recuo das forças militares, o que aparentemente reduziria as tensões com o Ocidente e a Ucrânia, o ministro da Defesa, Sergei Shoigu, disse que as forças localizadas em Bryansk, Belgorod e Rostov já estão em fase avançada para retornar às bases de origem.

"Os efetivos estão desmontando os acampamentos de campanha, carregando os equipamentos e formando as colunas de transportes militares e veículos blindados", explica o comunicado do ministério. O Ministério da Defesa também explicou que as colunas militares se deslocarão até as estações ferroviárias, de onde as tropas serão transportadas em trens até os quartéis.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) estima que 40 mil soldados russos estejam presentes na fronteira com a Ucrânia. A Otan disse que está acompanhando a situação de perto, mas ainda não pode confirmar a movimentação das tropas. O porta-voz da entidade, Oana Lugescu, desafiou a Rússia "a provar que eles estão fazendo o que disseram".

Imagens de emissoras de televisão russas mostraram os soldados se movimentando, mas não possuíam a localização exata e as rotas permaneciam desconhecidas.

Conflitos

Nesta terça-feira, os rebeldes pró-russos continuaram os conflitos com as tropas do governo ucraniano na cidade de
Slovyansk, que tem sido o epicentro dos confrontos. A situação já tem provocado a ira dos moradores locais contra os insurgente "Eles devem parar com essa bandidagem de modo que possamos ter paz", disse a Lina Sidorenko. "Quanto tempo isso pode durar? Tivemos um país unido e agora olha o que aconteceu", reclamou.

Os novos conflitos também desagradaram o homem mais rico da Ucrânia, Rinat Akhmetov. O empresário do setor de metais convocou os seus funcionários para protestar pacificamente contra os pró-russos que controlam as regiões de Donetsk e Lugansk. A manifestação começará com uma sirene em todas as fábricas de Donbass, em apoio à paz e contra o massacre. As opiniões de Akhmetov são muito influentes na região.

Bookmark and Share