Porto Alegre, quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

  • 20/05/2014
  • 12:33
  • Atualização: 13:29

Gabrielli isenta Dilma de responsabilidade por Pasadena

Ex-presidente da Petrobras afirmou que refinaria era estratégica para Brasil

Ex-presidente da Petrobras afirmou que refinaria era estratégica para Brasil | Foto: Antônio Cruz / Agência Brasil / CP

Ex-presidente da Petrobras afirmou que refinaria era estratégica para Brasil | Foto: Antônio Cruz / Agência Brasil / CP

  • Comentários
  • Agência Brasil

Depois de ter declarado à imprensa em abril que a presidente Dilma Rousseff não poderia fugir à responsabilidade dela no episódio da compra da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA) pela Petrobras, o ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli recuou em esclarecimento nesta terça-feira. Ao falar à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado, ele disse que a presidente, não foi responsável pela compra da refinaria, já que as decisões do Conselho de Administração da Petrobras são colegiadas.

“Não considero a presidenta responsável pela compra de Pasadena. A responsabilidade é da diretoria do Conselho de Administração”, afirmou.

Gabrielli disse que interessou à Petrobras comprar a refinaria de Pasadena porque, segundo ele, fazia parte de uma estratégia da estatal. "(Pasadena) era uma refinaria extremamente bem localizada e com preço atraente. O interesse era estratégico e era adequada para a realidade do Brasil e a realidade do petróleo nos EUA", afirmou.

“Era uma refinaria que estava barata. Os primeiros 50% foram comprados a menos da metade do preço das refinaria por barril médio”, disse. “A refinaria daria retorno com manutenção do mercado de refino leve e pesado”, avaliou. "O mercado de consumo de derivados nos Estados Unidos estava bombando em 2003-2007, não só em gasolina mas em demanda de petróleo pesado”, explicou.

Bookmark and Share