Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 22/05/2014
  • 20:50
  • Atualização: 21:07

Vigilância em Saúde e Bombeiros mantêm interditado hospital de Osório

Mais de 170 pacientes em tratamento de hemodiálise estão sendo atendidos em outros hospitais

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

Uma vistoria feita hoje pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde protelou a reabertura do setor de hemodiálise do Hospital de Beneficência São Vicente de Paulo, que pegou fogo no sábado, em Osório, no litoral Norte. Mais de 170 pacientes dependem do tratamento semanal.

Os técnicos apontaram a necessidade de adequação dos fluxos de esterilização de materiais e tratamento de resíduos hospitalares para que o serviço seja retomado. A vistoria também indicou a necessidade de construção de banheiros para deficientes e de um consultório médico no local.Já os bombeiros querem um Plano de Prevenção e Combate a Incêndio (PPCI) específico do setor de hemodiálise, sem o qual não há condições da liberação de alvará de funcionamento. 

Os 172 pacientes que fazem tratamento continuado de hemodiálise em Osório estão sendo atendidos em outros hospitais. “Vamos garantir o atendimento de todos os pacientes da hemodiálise nos hospitais da região, enquanto for necessário”, explicou Luis Genaro Figoli, coordenador regional de Saúde. O presidente do Hospital São Vicente, Francisco Moro, garante que toda a documentação solicitada pelos bombeiros foi entregue nesta quinta-feira.

A rede elétrica foi reconstruída pela Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) no setor. A luz foi religada na manhã de hoje, quando começou o processo de higienização das caixas d’água. Os reparos necessários nos demais locais afetados pelo incêndio, como raio-x e informática, só serão avaliados após a liberação da hemodiálise.

O Hospital São Vicente de Paulo foi interditado, no fim de semana, após uma sobrecarga na rede elétrica provocar o fogo, que danificou, sobretudo, setores do segundo pavimento.