Porto Alegre, sábado, 20 de Dezembro de 2014

  • 23/05/2014
  • 19:49

Acusados da morte de cinegrafista ficam calados durante audiência

Caio Silva de Souza e Fábio Raposo Barbosa respondem por homicídio doloso triplamente qualificado

  • Comentários
  • Agência Brasil

A última audiência de instrução do processo que apura a morte do cinegrafisata da TV Bandeirantes, Santiago Andrade, durou apenas cerca de dez minutos. Os dois acusados de soltar um rojão que provocou a morte do cinegrafista, durante manifestação no Rio, no dia 6 de fevereiro, usaram o direito de permanecer em silêncio. A defesa de Caio Silva de Souza e Fábio Raposo Barbosa disse ao juiz Murilo Kieling que seus clientes usariam o direito de permanecer calados. Então, o magistrado encerrou a sessão.

Caio Silva de Souza e Fábio Raposo Barbosa respondem pelos crimes de homicídio doloso triplamente qualificado (motivo torpe, impossibilidade de defesa da vítima e uso de explosivo) e explosão.

As três testemunhas inicialmente arroladas para depor em juízo foram dispensadas pela defesa dos réus. Agora, tanto a defesa dos réus quanto o Ministério Público terão prazo de cinco dias cada para apresentar as alegações finais, antes do juízo dar a sentença.

Bookmark and Share