Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 28/05/2014
  • 21:49
  • Atualização: 21:57

Pai de Bernardo depõe com detector de mentiras em Charqueadas

Conforme advogado, Leandro Boldrini falou por cerca de duas horas

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

O médico Leandro Boldrini, pai do menino Bernardo, de 11 anos, encontrado morto em 14 abril em Frederico Westphalen, prestou depoimento na tarde desta quinta-feira. Durante a oitiva, que durou aproximadamente duas horas e foi realizada na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas, foi utilizado um equipamento detector de mentiras. O advogado de defesa de Boldrini, Jader Marques, afirmou ainda não há prazo para o resultado do exame.

Nessa terça, Marques teve negado pedido de habeas corpus, que havia sido impetrado em favor do médico, que é suspeito de envolvimento na morte do filho. Para o magistrado, não há como afastar a legalidade da prisão. A defesa do médico, porém, irá recorrer, para que o colegiado da 3ª Câmara analise o pedido.

A defesa impetrou o habeas corpus alegando a ausência de requisitos legais para a manter Boldrini preso. Marques afirmou a insustentabilidade da medida com base na garantia da ordem pública e destacou que a madrasta de Bernardo, Gracieli Ugulini, que é corré no caso, excluiu a participação do médico ao depor à Polícia. Marques também pediu a transferência da competência do caso, da Comarca de Três Passos, para a de Frederico Westphalen, onde a morte de Bernardo foi consumada. Na liminar que negou o habeas corpus, o desembargador também recusou esse pedido, alegando não haver evidências da falta de competência da Justiça de Três Passos para cuidar do caso.

O corpo de Bernardo Boldrini foi encontrado na noite de 14 de abril às margens de um rio no município de Frederico Westphalen. A Polícia concluiu que o menino foi dopado antes de ser morto com uma injeção letal, no dia 4 de abril. A polícia indiciou o pai de Bernardo, Leandro Boldrini, a madrasta, Graciele Ugulini, uma amiga do casal, Edelvânia Wirganovicz, e o irmão dela, Evandro Wirganovicz, por envolvimento no crime.

Bookmark and Share