Porto Alegre, sábado, 1 de Novembro de 2014

  • 29/05/2014
  • 17:08
  • Atualização: 17:16

Justiça recupera R$ 6 milhões de advogado procurado pela Interpol

Quadrilha liderada por ele lesou 30 mil pessoas em 15 anos, segundo a Polícia Federal

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

O cancelamento de todas as ordens de pagamento dirigidas ao Banrisul e que tinham como autorizado o advogado de Passo Fundo procurado pela Interpol, gerou um retorno de R$ 6 milhões para o patrimônio público. A determinação foi emitida pelo corregedor-geral da Justiça, desembargador Tasso Caubi Soares Delabary. A CGJ considerou, ao determinar o cancelamento, o comunicado de suspensão preventiva do profissional, feito pela OAB/RS, e o número significativo de demandas que o advogado tinha em todo o Rio Grande do Sul.

Desarticulada pela Operação Carmelina, da Polícia Federal, a quadrilha coordenada pelo escritório do acusado lesou cerca de 30 mil pessoas, em 15 anos, segundo a investigação. O grupo pode ter faturado cerca de R$ 100 milhões nesse período retendo parte ou deixando de repassar aos clientes o dinheiro referente a processos judiciais movidos contra a antiga CRT e a Oi/Brasil Telecom.

O advogado, de 39 anos, é procurado pela Polícia Federal, com apoio da Interpol, desde que a operação foi desencadeada. A suspeita é de que ele tenha fugido para os Estados Unidos. A esposa dele também chegou a constar na lista de procurados da organização internacional, mas se entregou na metade de maio e passou a morar em Curitiba.

A Operação Carmelina tomou emprestado o nome de uma das vítimas do advogado. Ela morreu de câncer no intestino sem ter acesso ao dinheiro que ganhou depois de contratar o escritório de advocacia. A investigação mostrou que o advogado tinha se apropriado de cerca de R$ 125 mil.


Bookmark and Share