Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 02/06/2014
  • 18:22
  • Atualização: 20:08

Polícia procura mulher que teria envolvimento na morte do taxista em Alvorada

Luis Antônio Oliver foi morto com mais de 20 facadas no último domingo

Polícia procura mulher que teria envolvimento na morte do taxista em Alvorada | Foto: Reprodução / Delegacia de Polícia de Viamão / CP

Polícia procura mulher que teria envolvimento na morte do taxista em Alvorada | Foto: Reprodução / Delegacia de Polícia de Viamão / CP

  • Comentários
  • Hygino Vasconcellos / Correio do Povo

 A Polícia Civil de Alvorada procura identificar uma mulher que teria envolvimento no assassinato do taxista Luis Antonio Oliver, de 40 anos, morto na manhã do último domingo. Conforme o titular da 1ª Delegacia de Polícia de Alvorada, Maurício Barison Barcellos, por volta das 7 horas de domingo, ela chegou na parada 52 da avenida Presidente Getúlio Vargas, onde ficava Oliver, e solicitou uma corrida. Cerca de 15 minutos depois, os motoristas do ponto de táxi foram avisados do crime, no bairro Piratini. Conforme o delegado, a mulher fazia consumo de drogas em uma "área aberta" na Avenida Wenceslau Fontoura e foi identificada por outros três usuários de droga do local, que auxiliam nas investigações.

"Já temos o apelido dela, que não podemos divulgar para não atrapalhar as investigações, e um provável endereço." Para Barcellos, todos os indícios apontam que a morte do taxista seria um latrocínio. "Tudo indica que houve bastante luta corporal. Foi um crime para pegar dinheiro e comprar mais drogas." Outros três taxistas ouvidos pelo delegado também confirmaram que a jovem frequentava o local para consumo de drogas.

Um homem de 29 anos chegou a ser detido no domingo por envolvimento no crime, o que foi descartado. Para a polícia, há 90% de chances da participação de outros dois homens no crime, que teriam embarcado no automóvel no meio do caminho. "A jovem, identificada em câmeras do ponto de táxi, era muita franzina, não poderia cometer o crime sozinha", disse o delegado. Imagens de diferentes câmeras de vigilância foram solicitadas pela polícia para análise.

No começo da tarde de ontem, taxistas de Alvorada voltaram para as ruas para protestar contra a morte do colega. A categoria já tinha realizado outra mobilização, que contou com 40 taxistas, na noite de domingo. Na manhã desta segunda-feira o protesto bloqueou os dois sentidos da Avenida Getúlio Vargas, na altura da parada 48 e contou com a participação de 40 veículos. Em seguida, o grupo se dirigiu para a prefeitura de Alvorada, onde foi recebido pelo prefeito Sergio Maciel Bertoldi. A categoria pede mais segurança para trabalhar.

O prefeito, que foi taxista por 17 anos, demonstrou seu apoio à categoria e seus sentimentos de pesar à esposa e filha de taxista, que estiveram no encontro. O prefeito e o comandante da Brigada Militar de Alvorada, major Marcelo Couto, destacaram a importância de serem realizadas reuniões periódicas com os taxistas para acompanhamento da situação para a garantia de maior segurança aos profissionais. Entre os pedidos dos taxistas está a realização de blitze em passageiros dos táxis e a verificação da situação do veículo e do motorista, o que, segunda a prefeitura, devem ocorrer com maior frequência.

Entenda o caso
Luis Antônio Oliver foi morto com mais de 20 facadas na região do tórax, braços e rosto. A faca utilizada no crime foi encontrada próxima ao carro da vítima. Ele deixa mulher e dois filhos. O sepultamento do taxista ocorreu na manhã desta segunda-feira no Cemitério São Jerônimo, bairro Formosa, em Alvorada.

Bookmark and Share