Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 02/06/2014
  • 21:24
  • Atualização: 21:25

RS tem sete cidades entre as 100 melhores no índice de desenvolvimento

Capital registrou queda de 14º para 95º no ranking estadual do IFDM

  • Comentários
  • Correio do Povo

O Rio Grande do Sul registrou evolução no número de municípios dentro dos 100 melhores no Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM). Os dados divulgados nesta segunda-feira, que levam em conta o ano de 2011, mostram sete cidades no top 100, contra cinco da pesquisa anterior.

Entre as cidades com maios desenvolvimento, conforme a avaliação, estão Lajeado (15º), Bento Gonçalves (49º), Santa Cruz do Sul (78º), Tupandi (83º), Erechim (85º), Gramado (95º) e Marau (96º). Todas mostraram o que o Firjan avaliam como "Alto desenvolvimento", acima de 0,8 ponto no ranking ponderado.

Porto Alegre, por sua vez, é 680ª entre os 5.565 que foram avaliados por Educação, Saúde, Emprego e Renda. A queda da Capital foi pronunciada, já que despencou do 14º lugar no ranking de desenvolvimento, deixando os níveis altos de desenvolvimento para figurar em "Desenvolvimento moderado".

O índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) para classificar o nível de cada cidade em quatro categorias: baixo (de 0 a 0,4), regular (0,4001 a 0,6), moderado (de 0,6001 a 0,8) e alto (0,8001 a 1) desenvolvimento.

Criado em 2008, o IFDM tem o objetivo de monitorar o desenvolvimento socioeconômico do país. Os resultados obtidos têm base em informações oficiais dos ministérios da Educação, Saúde, Trabalho e Emprego.

Nesta nova edição, o IFDM-Educação atingiu 0,7355 ponto e foi o indicador que mais cresceu em relação a 2010 (3,9%). O crescimento ocorreu em 81% dos municípios e refletiu, principalmente, o aumento das notas do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) em 3.921 cidades (70,4% do total). O resultado fez com que a maioria dos municípios (54,8%) ficasse com desenvolvimento moderado nesta vertente, enquanto 25% atingisse o alto desenvolvimento. Ainda assim, 20% do país apresenta indicadores de educação regulares ou baixos.

O IFDM-Saúde cresceu 2,1% em 2011, atingindo 0,7387 ponto e com melhora no indicador em 65% dos municípios. Os resultados refletem a evolução de todas as variáveis que compõem o IFDM-Saúde, em especial do indicador de internações sensíveis à atenção básica, que teve um incremento de 3,6%. Analisando essa vertente, o número de municípios com alto desenvolvimento subiu de 1.415 para 1.583, com destaque para as regiões Sul e Sudeste. Apesar da melhora, o número de municípios com baixo desenvolvimento no IFDM-Saúde é dez vezes maior do que o observado no IFDM-Educação. Somente as regiões Norte e Nordeste reuniram 260 dos 303 municípios de baixo desenvolvimento nesta área.

Já o IFDM- Emprego e Renda foi o único que recuou em 2011, passando de 0,7261 para 0,7219 ponto (-0,6%). O número de municípios com alto desenvolvimento caiu de 124 para 97, enquanto o de municípios com baixo desenvolvimento aumentou de 1.624 para 1.686. Os dados refletem a desaceleração da economia brasileira naquele ano, quando o saldo de geração de postos de trabalho com carteira assinada foi 23% inferior ao registrado no ano anterior.

Bookmark and Share