Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 04/06/2014
  • 07:58
  • Atualização: 08:24

Na corrida ao Piratini, partidos monitoram adversários via web

Principais candidatos ao governo do Estado controlam passos de oponentes pela internet

  • Comentários
  • Correio do Povo

Os principais partidos na disputa ao governo do Estado criaram equipes específicas para monitorar a movimentação, os projetos, as críticas e os ataques aos seus candidatos na Internet. Os passos dos oponentes estão sendo acompanhados em blogs, sites e, em especial, nas redes sociais, cujas manifestações pessoais dos internautas acabam, às vezes, atingindo a honra dos candidatos ou disseminando inverdades.

Considerada excelente usuária das redes sociais, a senadora Ana Amélia Lemos (PP) terá equipe com cerca de 20 pessoas designadas para manter as postagens de campanha e para monitorar a concorrência. "Já temos a formação de assessoria jurídica para tomar as medidas necessárias contra posturas de adversários, que forem consideradas inadequadas", explica o coordenador de Comunicação do PP, Marco Aurélio Ferreira.

O PDT também está de olho no ambiente virtual. A equipe de redes sociais dá suporte a Vieira da Cunha, que é autor de parte das postagens, e também monitora adversários locais, observa o comportamento de políticos em outras regiões e busca informações nas redes sociais mantidas por veículos de imprensa.

O PT, que defenderá a reeleição do governador Tarso Genro, pretende utilizar a Web para disseminar informações sobre seu programa de governo e também estará ligado nas ações virtuais de seus oponentes eleitorais. Segundo o secretário de Comunicação do PT/RS, Nasson Santana, o partido está empenhado em preparar seus militantes para o enfrentamento ideológico nas redes sociais. "O governador já usa bem as ferramentas, distribui conteúdo e recebe suporte de sua assessoria. Resta preparar a militância para acompanhá-lo nas redes", revela.

O PMDB faz mistério sobre sua estratégia de divulgação na Internet. Conforme o coordenador de Comunicação José Luiz Fuscaldo, é cedo para revelar as táticas de suporte a José Ivo Sartori. Fuscaldo admite que, apesar do pré-candidato reconhecer o valor das ferramentas digitais, não é usuário habituado com as redes sociais. "Será uma adaptação para que ele seja o protagonista da comunicação. Sartori não aceitará se for algo artificial", indica.

TSE definirá regras

Um novo entendimento acerca do uso da Internet e das redes sociais deverá ser apresentado nos próximos dias pela Justiça Eleitoral. A expectativa é de que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decida até 10 de junho sobre a aplicabilidade da Minirreforma Eleitoral, que irá disciplinar o uso da Internet e as punições para eventuais transgressões. A consulta questiona se a nova legislação valerá para este pleito, integral ou parcialmente.

Bookmark and Share