Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 05/06/2014
  • 12:02
  • Atualização: 12:18

Aliados da II Guerra comemoram 70º aniversário do Desembarque na Normandia

Cerimônia contará com presença de dezenove chefes de Estado e de Governo

Rainha Elizabeth II da Inglaterra, participa das comemorações | Foto: Francois Guillot / AFP /CP

Rainha Elizabeth II da Inglaterra, participa das comemorações | Foto: Francois Guillot / AFP /CP

  • Comentários
  • AFP

Os Aliados da Segunda Guerra Mundial vão comemorar neste dia 6 de junho, na França, com a participação da Alemanha, os 70 anos do maior desembarque da história. A cerimônia contará com a presença de dezenove chefes de Estado e de Governo, incluindo o dos Estados Unidos, Barack Obama, e da Rússia, Vladimir Putin, mas as autoridades americanas já descartaram uma reunião entre os dois.

O presidente francês, François Hollande, participa nesta quinta de reuniões em Paris com Putin e o recém-eleito presidente ucraniano Petro Poroshenko, convidado a participar das cerimômias após sua eleição no último domingo. A rainha Elizabeth II da Inglaterra, o rei Filipe da Bélgica, a chefe do governo alemão Angela Merkel e do Canadá Stephen Harper também vão participar das cerimônias.

Todos os líderes foram convidados por Hollande para almoçar com um grupo de veteranos antes da tradicional cerimônia internacional em Ouistreham, uma das praias onde aconteceu o desembarque no dia 6 de junho de 1944.

"Quando amanheceu, havia tantos navios ao nosso redor que praticamente não víamos o mar e o céu estava coberto de aviões", lembra Romeo Boulanger, um veterano canadense que, assim como 156 mil americanos, britânicos e canadenses - muitos deles com menos de 20 anos - chegaram neste dia, por mar ou ar, na Normandia para libertar a Europa do nazismo.

Além das 5 mil embarcações que transportavam 2 mil pontões assalto e 20 mil veículos, mais de 10 mil aeronaves participaram da operação. Cerca de 11 mil  soldados aliados foram mortos, feridos ou dados como desaparecidos em 6 de junho, mas as perdas foram menores do que o esperado (25 mil), de acordo com Olivier Wieviorka, autor de um livro sobre este acontecimento histórico.

Efeito surpresa "A Batalha da Normandia"

A abertura de uma nova frente de combate na costa noroeste da Europa foi uma decisão tomada pelos aliados em uma
conferência em Casablanca (Marrocos) em janeiro de 1943. Nesta época, Hitler dominava grande parte da Europa.
Enquanto Stalin e Roosevelt eram favoráveis à abertura desta frente, Churchill era reticente e precisou ser convencido.

Poucos meses após a conferência, foi decidida uma ação em maio de 1944. Contudo, em agosto de 1943, os aliados apostaram no efeito surpresa e decidiram que o desembarque aconteceria na costa da Normandia, mais distante da Inglaterra do que as praias de Calais (mais ao norte) e que, portanto, estariam menos protegida pelos
alemães.

Em dezembro, o general americano Dwight Eisenhower recebeu o comando da operação, chamada Overlord. Enquanto isso, todo esforço foi feito para que o inimigo seguisse convencido de que o desembarque ocorreria mais ao norte, e posicionaram tanques de borracha infláveis no sudeste da Inglaterra.

Durante a madrugada do dia 5 de junho, 200 mensagens codificadas, como "Está quente em Suez" ou "Os dados estão na mesa", deram o sinal por ondas de rádio. A resistência francesa sabotou as vias férreas, estradas e linhas telefônicas para impedir a chegada de reforços alemães.

Durante a noite, 23 mil americanos e britânicos saltaram de paraquedas em território francês, embora em muitos casos esses lançamentos foram "catastróficos", lembra o historiador Jean Quellien. Muitos homens foram presos e alguns morreram antes que pudessem lutar.

Em 6 de junho, às 05h40min, a frota aliada abriu fogo contra as defesas alemãs. Às 06h30min, começaram os assaltos em várias praias.

A Batalha da Normandia foi mais longa do que o esperado (três meses em vez de três semanas) e deixou um saldo de 37 mil aliados e 50 mil alemães mortos. Além disso, 20 mil civis morreram entre 6 de junho e o final de agosto. Paris foi finalmente libertada em 25 de agosto.

Os aliados precisaram enfrentar a ofensiva de Hitler nas Árdenas belgas e em Luxemburgo em dezembro de 1944. Mas em março de 1945 atravessaram o Reno e o regime nazista capitulou em 8 de maio de 1945.

Bookmark and Share