Correio do Povo

Porto Alegre, 21 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
21ºC
Amanhã
15º 29º


Faça sua Busca


Notícias > Geral > Saúde

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

05/06/2014 15:03 - Atualizado em 05/06/2014 19:28

Coordenador do Mais Médicos revela crescimento de 35% em atendimentos

Em coletiva no RS, Felipe Proenço destacou alta de 183% nas consultas em municípios gaúchos

Segundo Felipe Proenço, também houve aumento de 3 mil vagas em cursos de medicina no período<br /><b>Crédito: </b> João Vilnei/Especial CP
Segundo Felipe Proenço, também houve aumento de 3 mil vagas em cursos de medicina no período
Crédito: João Vilnei/Especial CP
Segundo Felipe Proenço, também houve aumento de 3 mil vagas em cursos de medicina no período
Crédito: João Vilnei/Especial CP

Os primeiros resultados do programa Mais Médicos no Rio Grande do Sul foram apresentados na tarde desta quinta-feira em Santa Maria, na região central do Estado, onde ocorre o seminário “Mais Médicos para o Brasil, Mais Saúde para os Brasileiros”. Após o encontro, mais duas etapas do seminário ocorrerão em Rio Grande e Porto Alegre. Segundo o coordenador do programa, Felipe Proenço, os mais de 14 mil profissionais que estão atuando no programa aumentaram em 35% os atendimentos básicos em saúde no país.

O Mais Médicos também atingiu 3,8 mil municípios e um total de 49 milhões de brasileiros. A avaliação do coordenador também é positiva nas medidas estruturantes, como abertura de mais vagas em universidades brasileiras. Foram mais de três mil vagas abertas nos últimos 10 meses, o que representa cerca de ¼ do total pretendido de novas vagas.

Segundo os dados de avaliação, em 75% dos municípios atendidos pelo programa há situação de vulnerabilidade, com baixo índice de desenvolvimento humano. Os outros 25% dos municípios não estão em áreas de vulnerabilidade, mas sofrem com escassez de médicos em áreas nas periferias e zonas rurais.

Atualmente, o Mais Médicos garante assistência nas unidades básicas de saúde para 3,7 milhões de gaúchos. “Regiões que não contavam com a possibilidade de formar especialistas passam a ofertar vagas e aumentar a possibilidade de o médico se fixar no local. Só para a residência médica no Rio Grande do Sul são quase 300 bolsas disponíveis no último ano”, ressaltou Proenço.

No estado do Rio Grande do Sul, além do crescimento de 183% no número de consultas, observou-se aumento de 359%, na quantidade de atendimentos por demanda imediata (passaram de 53.862 para 247.536, no mesmo período), de 288% no atendimento em saúde mental (37.992 para 147.614), de 30% no atendimento de Pré-Natal (10.088 para 13.101). Também foi registrado crescimento de 23,2% no atendimento a pacientes com diabetes, que passou de 15.585 atendimentos em janeiro de 2013, para 19.195 em janeiro deste ano e 19% no atendimento a usuários de álcool (de 678 para 808).

Com informações de Renato Oliveira.


Bookmark and Share

Fonte: Rádio Guaíba






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.