Porto Alegre, quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

  • 09/06/2014
  • 15:13
  • Atualização: 15:31

Dilma oferece ajuda federal ao Paraná, atingido por forte chuva

Temporais deixaram nove mortos e afetaram cerca de 55 mil pessoas

  • Comentários
  • Agência Brasil

A presidente Dilma Rousseff ofereceu o apoio ao governo do Paraná para enfrentar os problemas decorrentes da forte chuva que atinge o estado desde o final da semana passada. A oferta de apoio foi feita durante conversa na manhã desta segunda-feira, por telefone, com o governador do Paraná, Beto Richa.

“Conversei hoje com o governador Beto Richa e ofereci a solidariedade do Governo Federal ao povo do Paraná e às vítimas das fortes chuvas. Daremos todo o apoio necessário para ajudar no resgate e no acolhimento dos desabrigados. Estamos junto com os paranaenses nesta momento difícil”, informou a presidente Dilma em seu perfil oficial no Twitter.

Dilma disse ainda que determinou ao ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, que vá ao Paraná para coordenar as operações da Defesa Civil, da Força Nacional de Saúde e do Batalhão de Engenharia do Exército.

A chuva forte que atinge o Paraná desde o final da semana passada deixou nove mortos e afetou 55,65 mil  pessoas em todo o estado, segundo boletim divulgado hoje pela Defesa Civil Estadual. De acordo com a Defesa Civil estadual, 70 cidades estão em situação de emergência. A região central do estado é a mais prejudicada, principalmente os municípios de Guarapuava, Irati e Rebouças. A chuva forte também interditou rodovias estaduais e federais devido a quedas de barreiras e alagamentos.

Segundo o Instituto Tecnológico Simepar, no Paraná ainda pode chuviscar hoje entre o leste e o litoral e também no noroeste e no norte. Nas demais regiões, o dia amanheceu com muita nebulosidade e com pouca visibilidade em vários municípios. O sol volta a aparecer com mais força a partir da tarde de hoje, principalmente no interior.

Segundo o governo estadual, estão sendo liberados R$ 6 milhões para os municípios comprarem vacinas, medicamentos, contratarem e pagarem hora extra aos profissionais de saúde.

Bookmark and Share