Porto Alegre, quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

  • 09/06/2014
  • 20:37
  • Atualização: 20:43

Sociedade egípcia denuncia ataques de mulheres por multidões

Ao menos cinco foram vítimas de estupros coletivos durante festa inaugural do novo presidente

Ao menos cinco foram vítimas de estupros coletivos durante festa inaugural do novo presidente | Foto: Mohame el-Shahed/AFP/CP

Ao menos cinco foram vítimas de estupros coletivos durante festa inaugural do novo presidente | Foto: Mohame el-Shahed/AFP/CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Grande parte da população egípcia mostrou forte horror e indignação dos diversos crimes de violência sexual cometidos contra mulheres durante as comemorações inaugurais do novo presidente, El-Sisy. De acordo com registros de entidades dos direitos humanos apurados pela rede CNN, pelo menos cinco mulheres foram atacadas por multidões durante os festejos.

Um dos momentos que gerou maior protesto foi quando, após breve relato de que uma mulher havia sido atacada, a âncora de um telejornal minimizou a situação: "Eles estão felizes, ora", declarou Maha Bahanassy, durante a programação de uma das TVs oficiais. Posteriormente, ela se desculpou e relatou que seus comentários haviam sido mal interpretados.

Quatro das cinco mulheres atacadas pelas ordas precisaram de cuidados médicos. Em alguns dos casos, a ferocidade dos homens envolvidos era tanta que os policiais que buscaram interferir acabaram feridos pela multidão. Não foram confirmadas prisões.

Os casos de assédio contra mulheres são epidêmicos no Egito. Pesquisa das Nações Unidas apontou que 99,3% da população feminina do país já sofreu algum tipo de abuso e 82% reconheceu que se sente insegura nas ruas.


Bookmark and Share