Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 09/06/2014
  • 20:49
  • Atualização: 20:50

Trensurb finaliza negociação descartando cestas básicas para metroviários

Trabalhadores discutem proposta na terça-feira e podem parar a partir de sexta-feira

  • Comentários
  • Samantha Klein/Rádio Guaíba

Com a ameaça de greve dos metroviários a partir da próxima sexta-feira, a Trensurb descartou nesta segunda-feira o pagamento de cestas básicas aos trabalhadores. A direção fez uma proposta de reajuste de 15% a 17% sobre o plano de carreira de todos os cargos, além da reposição da inflação a partir de julho.

Na última rodada de negociação, no fim de maio, o Sindimetrô acrescentou cláusulas para fechar um acordo quando houve o pedido de pagamento das cestas. Os trabalhadores dizem que os metroviários de Curitiba, por exemplo, já receberam o benefício.

A empresa não pretende aumentar a oferta aos servidores, segundo o presidente da Trensurb, Humberto Kasper. “Acreditamos que esse acordo seja firmado porque os demais sindicatos já aceitaram. Estamos pagando muito acima da inflação, é uma proposta dentro das possibilidades e não vamos deixar a população sem transporte. É muito estranha essa resistência dos metroviários justamente às vésperas da Copa”, destacou.

Se a greve for deflagrada, a empresa pretende ingressar na Justiça para solicitar que 100% dos funcionários sigam trabalhando no horário de pico. Além disso, medidas poderão ser tomadas para evitar o bloqueio das estações do metrô.

“Esperamos que a empresa venha com uma contraproposta porque o pessoal está se organizando para começar a greve. Não queremos abrir mão desse pedido”, ressaltou o secretário jurídico da entidade sindical, Ailton Cavalheiro. Os trabalhadores vão se reunir em assembleia para definir os rumos da paralisação na tarde desta terça-feira.

Bookmark and Share