Correio do Povo

Porto Alegre, 29 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
20ºC
Amanhã
16º 27º


Faça sua Busca


Notícias > Política

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

10/06/2014 15:58 - Atualizado em 10/06/2014 16:02

Defesa de Genoino pede urgência ao STF na decisão sobre prisão domiciliar

Advogados do ex-deputado federal pedem urgência no julgamento

Os advogados do ex-deputado federal José Genoino pediram ao Supremo Tribunal Federal (STF) que julgue com urgência recurso que pede o retorno do ex-parlamentar para a prisão domiciliar. Condenado por participação no esquema do mensalão, Genoino está preso desde o início de maio no complexo penitenciário da Papuda, em Brasília. Conforme a defesa, exames de sangue feitos pelo ex-deputado no último mês mostram resultados "extremamente preocupantes". 

"Com o retorno à penitenciária, o apenado apresentou relevante piora em seu quadro clínico porque teve ao menos três episódios de crise hipertensiva, tendo que fazer uso de medicação de urgência", afirmam os advogados na petição protocolada nesta terça-feira no STF. "Seu índice de coagulação sanguínea está abaixo do nível terapêutico ideal", acrescentam. 

De acordo com a defesa, Genoino "não tem condições de saúde para cumprir dignamente a pena no presídio em que se encontra". Para eles, manter o ex-deputado na cadeia representa um "risco excessivo" à vida por causa do "comprovado malefício que o ambiente carcerário impõe à sua saúde e às precárias condições de atendimento médico lá existentes". A defesa pede que o presidente do STF, Joaquim Barbosa, decida com urgência o recurso ou que apresente em mesa para julgamento pelo plenário da Corte na sessão de amanhã. 


Bookmark and Share


Fonte: AE






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.