Porto Alegre, sábado, 1 de Novembro de 2014

  • 13/06/2014
  • 14:00
  • Atualização: 14:35

Comércio estima prejuízo de R$ 100 mil com estragos em protesto

Lojistas calculam que vendas ficaram 50% abaixo do esperado

Comércio teve prejuízo com manifestações contra Copa | Foto: André Ávila

Comércio teve prejuízo com manifestações contra Copa | Foto: André Ávila

  • Comentários
  • Karina Reif / Correio do Povo

O prejuízo com as depredações no comércio do Centro de Porto Alegre durante a manifestação contra a Copa nessa quinta-feira foi estimado, preliminarmente, em cerca de R$ 100 mil. Pelo menos três vitrines foram quebradas, vários portões e muros ficaram pichados. No entanto, a principal perda foi na comercialização para o Dia dos Namorados. “A venda no Centro chegou a ficar 50% abaixo do que era o esperado”, ressaltou o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Porto Alegre, Gustavo Schifino.

Segundo ele, os proprietários tiveram que fechar os estabelecimentos duas horas antes do previsto por uma questão de segurança. “O Dia dos Namorados é a terceira melhor data para o varejo. As lojas se organizaram para atender a demanda”, ressaltou.

O volume de vendas ficou abaixo do esperado, apesar do aumento nominal de 4,3%, com total de R$ 69 milhões. A expectativa era de R$ 70 milhões. O resultado também foi reflexo da redução no horário de funcionamento das lojas por conta do início da Copa do Mundo.

“As manifestações prometidas para esta semana também causaram insegurança na população, o que inibiu o consumo, principalmente na região central da cidade”, confirmou o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse.

Gustavo Schifino afirmou que a Brigada Militar (BM) não protegeu o patrimônio. “Isso sempre incomoda o setor produtivo, porque o estabelecimento é muitas vezes o sustento de várias famílias”, avaliou.

O subcomandante-geral da BM, coronel Silanus Mello, explicou que a manifestação foi acompanhada na retaguarda com o objetivo de preservar a integridade física dos participantes e da corporação. “Não temos como interceder no momento que eles começam a quebrar, porque eles não são a maioria e outras pessoas poderiam se machucar”, defendeu.

Mello estava no comando dos batalhões que atuaram na ação e que conseguiram prender seis adultos e apreender sete adolescentes. A identificação dos suspeitos foi feita por imagens obtidas do helicóptero da BM e de câmeras escondidas operadas por policiais à paisana. “A nossa avaliação é de que o resultado da atuação foi boa, em comparação com manifestações ocorridas em outros estados. Não tivemos manifestantes feridos”, afirmou.
Dois policiais, no entanto, precisaram de atendimento médico. Um caiu do cavalo e o outro quebrou um dente, após ser atingido por uma pedrada.

A prefeitura contabilizou danos em, ao menos, 20 placas de orientação aos pedestres especiais da Copa do Mundo, além de dois contêineres de lixo orgânico incendiados, foram os derrubados e pichados. O Paço Municipal teve três vidros quebrados e uma parede pichada. Os vidros do Tribunal de Justiça ficaram danificados, assim como as agências da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil e da Oi, além de bancas de revistas.

 






Bookmark and Share