Porto Alegre, quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

  • 17/06/2014
  • 18:33

Servidores de Gravataí decidem entrar em greve

Prefeitura garante não ter condições de pagar reajuste de 11% exigido pelas categorias

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

O Sindicato dos Trabalhadores Públicos e Servidores Municipais de Gravataí decretou greve na manhã desta terça-feira como havia ocorrido na quinta-feira passada com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública Municipal de Gravataí. As duas categorias exigem reajuste salarial de 11%, incluindo 5% de aumento real, a partir de 1º de maio.

A Prefeitura estima que o impacto estimado desse percentual é de R$ 25 milhões na folha de pessoal, que em 2014 já é de R$ 253 milhões/ano. Conforme o prefeito Marco Alba, pagar esse índice ao funcionalismo impede que o Município alcance equilíbrio das contas. A Prefeitura propõe um aumento de 5,81%, em duas parcelas (a primeira em agosto, retroativa a maio; e a segunda em novembro de 2014). “Não se trata da vontade do prefeito, mas de um ato de responsabilidade administrativa, um esforço para não permitir que Gravataí se endivide ainda mais”, sustenta Marco Alba.

Em ofício aos dois sindicatos, entregue nesta terça, o prefeito voltou a elencar os motivos pelos quais a Prefeitura não está em condições de atender ao que querem os servidores. Quanto à paralisação, o prefeito espera que a categoria cumpra a lei e mantenha, ao menos, 30% dos serviços funcionando.

Impacto da greve dos professores

Das 77 escolas municipais de Gravataí, 26 voltarão a funcionar nesta quarta, somando 49 em funcionamento, conforme a Prefeitura. O Executivo reconhece, porém, que em 15 escolas a operação é parcial e que 13 seguem fechadas.

Bookmark and Share